Família desconfia e homem é preso ao chorar em velório de mulher atropelada

Foto  TL Notícias
Foto TL Notícias

Por volta das 23h deste sábado (11), a guarnição da ROTAI foi acionada a comparecer no Velório Municipal, onde estava sendo velada Eleud Pessoa, que havia sido encontrada morta na madrugada do último sábado após ter sido atropelada.

Eleud Pessoa de 41 anos, conduzia sua bicicleta pela Rua Clóvis Bevilaqua, esquina com a Rua Professora Delcina Rosa no Bairro Santa Terezinha em Três Lagoas (MS), e suspeitava-se que ela havia sido atropelada por um veículo que tinha se evadido do local.

Segundo relatos das pessoas presentes no velório, uma pessoa desconhecida apareceu no local e começou a falar que conhecia a vítima e fez alguns gestos demonstrando arrependimento. A todo o momento, a pessoa passava as mão na cabeça da mulher e chorava muito. Diante o caso, a família achou a atitude estranho e comunicou o caso a Polícia Militar.

As pessoas no velório suspeitaram que o homem identificado como J. S. C. de 24 anos poderia estar envolvido na morte de Eleud Pessoa. Quando a equipe policial chegou o suspeito se apresentou com um sobrenome falso e perceberam que ele estava muito nervoso.

O suspeito quando questionado se conhecia a vítima afirmou que sim, mas que fazia muito tempo que não a via, mas ao saber de sua morte tinha vindo no velório.

A polícia verificou o celular do suspeito e nele encontrou três ligações na data de 10/07 ás 11h:49min e na data de 09/07 recebidas de Eleud Pessoa. Assim, ficou constatado que o sujeito mentiu ao dizer que fazia muito tempo que não falava com a vítima.

Enquanto entrevistavam o suspeito a polícia percebeu que havia em sua orelha uma grande mancha de sangue seco, mas não tinha sinais de ferimento na orelha ou na cabeça, então esse sangue seria de outra pessoa.

O homem acabou dizendo que havia tomado tereré com a vítima na sexta-feira e na tarde havia visto em um bar e negou que eles tivessem algum tipo de envolvimento amoroso.

Diante dos fatos a equipe da polícia conduziu o sujeito até sua casa e lá encontrou uma blusa de moletom de cor preta com vestígios de sangue e de imediato tentou limpar a orelha suja de sangue e foi de imediato algemado com as mãos para trás.

A guarnição entrou em contato com o COPOM e solicitou o trabalho da perícia para o recolhimento do sangue e as demais provas.

No preenchimento do boletim de ocorrência, o suspeito confessou seu verdadeiro nome e sobrenome e que tinha uma extensa ficha criminal e que manteve um relacionamento amoroso com a vítima. O caso foi registrado na DEPAC para as providências cabíveis.

Se você souber de alguma informação que possa ajudar a polícia a solucionar esse caso ligue e denuncie no (67) 3929-1173.

Com Informações TL Notícias

Comentários

comentários