Fábio Trad oficializa saída do PMDB e dispara contra Puccinelli

O advogado e ex-deputado federal Fábio Trad, oficializou, nesta segunda-feira (15), pedido de desfiliação do PMDB. Segundo Fábio, o pedido foi oficializado de forma interna e externa, ou seja, ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MS) e ao partido.

Fábio Trad foi eleito como primeiro suplente de deputado federal - Foto: Divulgação
Fábio Trad foi eleito como primeiro suplente de deputado federal – Foto: Divulgação

“Por absoluta incompatibilidade de pensamento, ideologia, prática política, agressões por parte da cúpula do partido a minha família, bem como em razão de outros fatores a serem oportunamente provados, inclusive, documentalmente, se necessário for”, justificou ao TRE no pedido de desfiliação.

Ele disse que há diversos motivos para sua saída do partido, entre eles estão algumas divergências em relações a questões nacionais, como a orientação de apoiar a recondução do vice-presidente Michel Temer para concorrer ao cargo junto com a presidente Dilma Rousse (PT), ao qual ele era contra.

No âmbito regional ele aponta um esquema que visava predudicar sua candidatura à reeleição. “Tenho provas documentais e testemunhais de que a cúpula do PMDB agiu de forma a prejudicar minhacampanha eleitoral de 2014 em benefício da campanha de candidatos de outros partidos”, afirmou.

Fabio Trad afirma que por orientação do ex-governador André Puccinelli, o PMDB teve papel “protagonista na coordenação da campanha de uma que foi candidata a deputada federal de outro partido”, sem citar nomes, mas se referindo a eleição de Tereza Cristina (PSB).

A perseguição, segundo ele, ocorreu por não “obedecer” as ordens de Puccinelli. “Lideranças emergentes que procuram apenas exercer o direito de expor suas próprias convicções no partido são vistos como ‘estranhos no ninho’ e passam a sofrer represálias e perseguições implacáveis”, completou

Comentários

comentários