Fábio Trad e Marquinhos Trad devem assumir PSD, revela Antonio João

O ex-deputado federal Fábio Trad (sem partido) e o deputado estadual Marquinhos Trad (dissidente do PMDB) devem assumir o comando regional e municipal do PSD, conforme revelou o presidente do partido em Mato Grosso do Sul, empresário Antonio João Hugo Rodrigues ao formalizar seu afastamento da direção do partido.

Fábio Trad deve assumir comando do PSD
Fábio Trad deve assumir comando do PSD

A decisão de deixar o comando do partido foi feito pessoalmente a Gilberto Kassab —fundador do partido e ministro das Cidades —, e ao presidente nacional do PSD, Guilherme Campos, em reunião na sede da legenda, em Brasília, conforme reportagem publicada na edição desta quinta-feira do jornal Correio do Estado.

No encontro, Antonio João explicou a Kassab e Campos que, nas últimas eleições houveram divisões dentro do partido, bem como em outras legendas no Estado.

“Essa eleição deu uma mostra muito grande, o PSD, aliás como em todos os partidos, cada membro foi para um lado independente de partido e cor partidária. Uma parte do PSD ficou, esta parte está sendo mantida. A parte que não ficou tem de ser substituída e está sendo substituída para que o partido tenha unidade”, contou, que teria ficado com a incumbência de indicar seu sucessor.

Como proposta para deixar o partido no comando de políticos responsáveis e que deem continuidade ao trabalho iniciado por Antonio João — que foi o fundador do PSD Nacional e Regional — a proposta é trazer o deputado estadual Marquinhos Trad e o ex-deputado federal Fabio Trad para a legenda.

“Agora vem o Marquinhos (Trad) também, se Deus quiser, vou convidá-lo a vir para a legenda. Ele queria vir para o PSD, ele não pensava assim: quero ir para ser presidente de qualquer partido. Ele queria vir para o PSD. Agora ele tem a chance de vir para comandar o partido em nível municipal e o Fábio (Trad), se aceitar, comandar o partido em nível estadual. Vai ser do jeito que eles acharem melhor. Os dois são as minhas indicações para o Kassab, e o presidente Guilherme (Campos). Eles são políticos eleitorais, políticos da política, eu sou político ocasionalmente. De repente me chamam eu vou, arrumo, ajudo. Entrei no PTB, fortaleci o partido. Depois sai do PTB. Agora no PSD fui para fundar o partido. Estou feliz”.

Comentários

comentários