Executivo da Volswagen é preso por possível corrupção nos EUA

O FBI prendeu um executivo da Volkswagen por acusação de conspiração para fraudar os Estados Unidos, segundo reportagem publicada nesta segunda-feira (9) pelo jornal New York Times.

Oliver Schmidt, que comandou o departamento de compliance regulatório da empresa nos EUA entre 2014 e março de 2015, foi preso no sábado por investigadores federais norte-americanos na Flórida, de acordo com o jornal, que citou pessoas com conhecimento da questão.

A VW admitiu em setembro de 2015 ter instalado um software secreto em 475 mil carros com motores 2.0 a diesel nos EUA para fraudar testes de emissão de poluentes e fazer os modelos parecerem mais limpos.

Na verdade, os veículos emitiam poluentes em um nível até 40 vezes acima do permitido pela lei. No mundo inteiro, a fraude atingiu 11 milhões de veículos. No Brasil, apenas a picape Amarok foi afetada.

A Volkswagen se recusou a comentar a reportagem sobre a prisão.

“A Volkswagen continua a cooperar com o Departamento de Justiça enquanto trabalhamos para resolver as questões pendentes nos Estados Unidos. Não seria apropriado comentar sobre qualquer investigação em andamento ou discutir questões pessoais”, afirmou a empresa.

Representantes do FBI não estavam disponíveis de imediato para comentar. Schmidt deve ser levado a um tribunal de Detroit nesta segunda-feira, de acordo com o NYT.

Da Reuters

Comentários

comentários