Ex-vereador Robson Martins responderá por aliciamento e extorsão em liberdade

O ex-vereador Robson Leiria Martins, preso desde o dia 16 abril, acusado de extorsão e exploração sexual de adolescentes, irá responder o processo em liberdade. O habeas corpus foi concedido pela Justiça nesta quinta-feira (28) e Martins deixou o Centro de Triagem Anísio Lima, onde estava preso.

Ex-vereador foi solto e vai responder processo em liberdade - Foto: Reproduçao Facebook
Ex-vereador foi solto e vai responder processo em liberdade – Foto: Reproduçao Facebook

Martins foi preso ao receber repasse de R$ 15 mil em esquema de extorsão ao ex-vereador Alceu Bueno e que desarticulou rede de exploração sexual de adolescentes.

Em julgamento ocorrido no dia 21 de maio, o desembargador da 3ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS), Dorival Moreira dos Santos, pediu vistas do processo. Nesta tarde, ele deu voto favorável para que Robson permaneça em liberdade provisória.

O pedido havia sido negado pelo juiz da 7ª Vara Criminal, Marcelo Ivo de Oliveira. O magistrado determinou à Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública) que localizasse cela especial., o que aconteceu em 22 de maio.

Não é a primeira vez que Robson Martins é preso por envolvimento em crime envolvendo exploração sexual. Em 2003, quando ainda exercia mandato de vereador, foi denunciado por exploração sexual infantil e renunciou. Ele foi absolvido

CASO

Fabiano Viana Otero, Luciano Pageu e ex-vereador da Capital Robson Martins foram indiciados pelos crimes de exploração sexual, induzir adolescentes a incorrer em ilícito penal e extorsão. Os dois últimos foram presos quando recebiam uma parcela da extorsão contra o ex-vereador Alceu Bueno, que aparece em vídeos – segundo as acusações – mantendo relações sexuais com duas adolescentes.

O ex-vereador Alceu Bueno e o ex-deputado estadual Sérgio Assis, que também teriam sido identificado em outro vídeo com adolescentes, foram indiciados por exploração sexual. Alceu renunciou, no dia 24 de abril,, ao cargo de presidente estadual do PSL e renunciou ao cargo de vereador no dia 28 de abril. O mesmo fez Sérgio Assis que, antes de ser expulso, desfiliou-se do PSB.

Fabiano, apontado como mentor do caso de exploração sexual, foi preso no dia 26 de abril e a Justiça homologou acordo de delação premiada. O suspeito foi ouvido e o caso segue em sigilo

Comentários

comentários