Estudante de medicina é preso por pedofilia com 12 mil fotos

Terra/SM

Acadêmico do sétimo semestre possuía mais de 12 mil imagens de pedofilia arquivados em dispositivos móveis

Foto: Ministério Público/Divulgação

A polícia civil prendeu nesta terça-feira (19), em Porto Alegre, um aluno do sétimo semestre do curso de medicina suspeito de pedofilia. O estudante de 27 anos, estava encerrando o plantão médico no centro obstétrico de um hospital da capital gaúcha quando foi levado pelos policiais, que o conduziram até sua casa. Na residência, os policiais encontraram 12 mil imagens de pornografia infantil e infanto-juvenil, o que culminou na  na prisão em flagrante do rapaz.

A polícia chegou até o suspeito após a denúncia de um pai da cidade de São Paulo, cujo filho de 10 anos vinha sendo aliciado pelo estudante. O universitário usava perfis falsos para contatar a criança e a partir deles pedia fotos íntimas, coagindo o garoto a enviar as imagens de conteúdo pornográfico. A polícia elogiou a atitude da família do menino, chamando a atenção para a necessidade de que os pais fiscalizem o que os filhos e o que eles fazem na rede mundial de computadores.

Durante as investigações, o Ministério Público identificou a faculdade onde o rapaz cursava medicina como um dos locais de origem do contato, a partir do IP do computador usado. O promotor de Justiça da Infância e da Juventude de Porto Alegre, Júlio Almeida, reforçou que uma série de imagens encontradas estavam registradas com nomes masculinos, dando a entender que o detido vinha seduzindo outras crianças. O nome do suspeito, da instituição e do hospital onde ele estagiava não foram divulgados para não prejudicar as investigações e proteger eventuais outras vítimas.

O estudante pagou fiança, estipulada em R$ 20 mil, e foi liberado. A investigação já solicitou a prisão preventiva do homem, para que ele responda às acusações na cadeia.

 

Comentários

comentários