Estranho! credores não aceitam proposta e podem receber menos com falência de Usina

Os credores de lucro real, formadas pelo BNDES e Banco Do Brasil, rejeitaram a proposta de recuperação apresentada pelos diretores da Usina São Fernando, que está localizada em Dourados (MS).

Na última quinta-feira (1), foi realizada a assembleia de credores, formada pelas classes dos trabalhadores, credores quirógrafos e os credores de garantia real. Conforme apurado pela nossa reportagem, a proposta de recuperação apresentada pela indústria foi aprovada pelos trabalhadores e quirógrafos, mas recusada pelos credores de garantia real, neste caso Banco do Brasil e BNDES.

Com a rejeição dos Bancos, que detém 90% dos créditos dessa classe, automaticamente anulam a decisão das duas outras classes, sendo assim, conforme a Lei a Justiça deve decretar a falência e nomear um administrador para cadastrar e colocar a venda o patrimônio para quitar as dívidas.

“É no mínimo estranho, não faz sentido essa rejeição. Os trabalhadores sendo pagos rigorosamente em dia, com entrada e movimentação de caixa. A proposta de recuperação paga muito mais aos credores do que a falência. Parece mais uma questão política do que jurídica”, afirmou uma fonte ligada a usina.

O pedido de recuperação judicial da Usina São Fernando foi realizado em 2013, para encontrar uma saída e quitar as dívidas com os credores, que são empresas e produtores locais de Dourados, cooperativas de vários Estados, fornecedores e Bancos.

Comentários

comentários