Escoltado, Olarte chega no Gaeco e promete colaborar com investigações

O vice-prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), chegou, às 9h de hoje (6), dentro de uma viatura da Polícia Militar e escoltado por dois policiais para depor no Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Gilmar Olarte chega para depor no Gaeco sob escolta de policiais Foto Kerolyn A
Gilmar Olarte chega para depor no Gaeco sob escolta de policiais Foto Kerolyn A

Preso desde a última sexta-feira (2), ele prestará depoimento nesta manhã depois de passar mal na noite de ontem.Segundo o advogado Jail Azambuja, Olarte teve crise de hipertensão.

Olarte precisou ser levado, por volta das 21 horas para o Hospital Unimed Campo Grande, o Miguel Couto. Com indisposição, Olarte foi atendido e liberado por volta das 23 horas, o atendimento mesmo durou menos de 1 hora.

Jail Azambuja disse que Olarte está disposto a colaborar com as investigações e esclarecer as denúncias sobre a compra de vereadores para cassar o mandato de Alcides Bernal (PP).

O advovago também classificou a prisão temporária como “injusta”. Apesar do período recluso terminar à meia-noite de hoje, Olarte tem esperança de obter o mesmo habeas corpus de Amorim e deixar o presídio antes.

Na prisão, Olarte se manteve isolado na cela e leu a bíblia. Ele, que é pastor da igreja Assembleia de Deus Nova Aliança, também fez dois cultos no presídio. O vice-prefeito afastado se alimentou com a mesma comida servida aos demais presos do complexo prisional da Capital, que é café da manhã, almoço e janta.

A única visita recebido no período foi do advogado.

Kerolyn Araujo com Jackson Nogueira

Comentários

comentários