Envelhecer com saúde e alegria será destaque em Dia Nacional do Idoso

O grupo Capital de Comunicação recebeu nesta sexta-feira (30), Vanessa Lefévre, vice-presidente da AFAMS (Associação dos Fonoaudiólogos de MS), que concedeu entrevistas a Radio FM 95 Capital e ao Página Brazil, para falar dos Dias do Idoso que pretende trabalhar junto a Terceira Idade para em especial, mostrar como envelhecer com saúde e alegria. Dia 27 de setembro é o Dia Internacional e em 01 de outubro é Dia Nacional do Idoso. A entidade participará da data com a divulgação de trabalhos de assistência à Saúde na velhice, que no Brasil já se estipula a partir de 60 anos.

Lefévre aponta em nosso vídeo, que o envelhecimento é universal, atingindo a todos e de forma irreversível. Mas, que precisamos e podemos envelhecer com saúde e alegria, com atitudes pessoais de prevenção ou cuidados posteriores, e com a contribuição de um fonoaudiólogo, que pode ajudar a desenvolver técnicas, fazer ou repassar ajudas simples ao cotidiano.

De acordo com a representante da Associação, os aspectos fonoaudiológicos se relacionam muito com os idosos e em diversas áreas diretas e que interferem no dia a dia. “O fonoaudiológico trabalha com o aprimoramento e o tratamento de aspectos relacionados à alimentação e comunicação humana. Quanto à alimentação: pode haver dificuldades para mastigar e engolir (deglutir) alimentos de todas as consistências. Quanto à comunicação: pode haver dificuldades relacionadas ao raciocínio, memória, articulação da fala, compreensão da linguagem, rouquidão e surdez”, explicou.

A fonoaudiologa comentou ainda o que muda na alimentação e na comunicação na terceira idade. “Geralmente, há diminuição do paladar (não consegue mais sentir plenamente o gosto dos alimentos, ocasionando aumento na adição de temperos); diminuição da saliva; lentidão na hora da mastigação; ter que fazer o ato de engolir várias vezes para que o alimento todo desça; dificuldade em engolir alimentos duros, fibrosos e secos; engasgos frequentes e tosse após engolir; a voz torna-se mais grave; presença de refluxo gastroesofágico; próteses dentárias (dentadura) mal adaptadas; dificuldade ou incapacidade de escutar e/ou distinguir sons, principalmente em ambientes ruidosos.

Como o fonoaudiólogo pode ajudar as pessoas da terceira idade?

“Reforçamos a importância do acompanhamento fonoaudiológico para um envelhecimento ativo e também no tratamento de alterações na adição, mastigação, fala, linguagem, cognição, deglutição, voz e memória”, comenta Lefévre.

A atuação fonoaudiológica envolve a aplicação de medidas de caráter amplo, como: orientações, oficinas de trabalho (linguagem e cognição, alimentação); bem como atendimento com atenção às dificuldades individuais específicas, dirigidas aos problemas.
“Por isso, caso você, idoso, tenha alguma alteração que pode aparecer com o passar dos anos nas áreas de audição, fala, mastigação e deglutição, ou ainda alteração na voz, dificuldade de memória e raciocínio, é importante consultar um fonoaudiólogo”, finaliza.

Para informações constantes sobre a atuação fonoaudiológica, nas diversas áreas de atuação, hà a disposição o site da AFAMS: afams.org.br, onde também é possível ser enviado mensagens, as quais serão respondidas.

Comentários

comentários