Encontro em motel há 6 anos atrás motivou assassinato de manicure

A acusada de matar a manicure Jennifer Nayara Guilhermete de Moraes, 22 anos, na tarde do dia 15 de janeiro, na região conhecida como “Céuzinho”, na saída para Rochedo, se apresentou à polícia na tarde da última segunda-feira (15). Gabriela Antunes dos Santos, também de 22 anos, prestou depoimento e está detida em uma das celas da 2ª Delegacia de Polícia Civil.

Com o cabelo de outra cor, Gabriela se apresentou à polícia. Foto: Kerolyn Araújo
Com o cabelo de outra cor, Gabriela se apresentou à polícia. Foto: Kerolyn Araújo

Segundo informações do delegado Alexandre Evangelista, responsável pelas investigações, Gabriela se apresentou com a advogada e disse que estava escondida em uma chácara. Em depoimento, ela assumiu o crime e confirmou a participação da adolescente de 16 anos e de Emilly Karoliny Leite, 19 anos, que já está presa.

O motivo do crime, segundo Gabriela, seria ciúmes. Em novembro de 2015, uma amiga contou que conheceu Jennifer na época que ela se envolveu com o marido de Gabriela, Alisson Patrick Vieira da Rocha, 22 anos. Há seis anos atrás, Jennifer foi até o bar com uma amiga e saíram de lá acompanhada com Alisson. Eles teriam ido para um motel na região da UCDB.

Enfurecida com a história e achando que o caso seria recente, Gabriela começou a ameaçar Jennifer com mensagens no Whatsapp. Com a ajuda de Emilly e da adolescente, elas convenceram Jennifer a encontrá-las para tirar a história a “limpo”.

Escondida, Gabriela pegou o carro de um cliente que estava no lava-jato de Alisson e seguiu com Emilly e a adolescente até o bairro Vida Nova, onde pegaram Jennifer. Segundo a autora, a intenção era de apenas dar um susto na vítima, como já havia feito em outra situação, batendo e raspando o cabelo de uma mulher no bairro Estrela do Sul, também por ciúmes.

Jennifer foi morta na tarde do dia 15 de janeiro. Foto: Reprodução/ Facebook
Jennifer foi morta na tarde do dia 15 de janeiro. Foto: Reprodução/ Facebook

A adolescente foi indicando o caminho e, durante o trajeto, Jennifer teria afirmado que havia ficado com o marido de Gabriela. Quando chegaram ao local, todas desceram do carro e seguiram para a cachoeira. Com um revólver calibre 38, a autora disparou três tiros contra a vítima, atingindo apenas um na região da mandibula. Após ser atingida, Jennifer despencou de uma altura de aproximadamente 20 metros.

De acordo com o delegado, Alisson não teve nenhuma ligação e não sabia do crime, mas está foragido e sendo procurado por um homicídio contra um travesti em 2014.

Presa, Gabriela será indiciada por homicídio qualificado, corrupção de menores e porte ilegal de arma de fogo.

Comentários

comentários