Empresário é preso por não combater focos da dengue e zika

O proprietário de uma loja de conveniências da Capital, localizada na Rua Antonio Maria Coelho, no Bairro Cabreúva , que não teve a identidade revelada, foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos na manhã desta terça-feira (15), após a força-tarefa da Prefeitura e da Polícia Civil encontrar foco de mosquitos em uma loja de conveniência na Rua Antônio Maria Coelho, em Campo Grande.

Prefeito Alcides Bernal e o secretário Ivandro Fonseca , acompanhados pro policiais da Decat e Semadur vistoriam terreno. Foto Divulgação
Prefeito Alcides Bernal e o secretário Ivandro Fonseca , acompanhados pro policiais da Decat e Semadur vistoriam terreno. Foto Divulgação

Segundo informações da assessoria da prefeitura, o dono do estabelecimento, que foi levado para a Decat, também é responsável pelo terreno ao lado da conveniência, utilizado para o armazenamento de garrafas.

Ainda conforme a assessoria, ele já havia sido notificado e autuado duas vezes e foi preso em flagrante por estar no local.

A vistoria integra ação iniciada na manhã desta terça-feira (15) entre a Polícia Civil e a prefeitura, que, através de liminar concedida pela Justiça, está entrando nos imóveis abandonados e fechados da Capital.

De acordo com o secretário de Saúde do município, Ivandro Fonseca, existem dois mil imóveis nessa situação na cidade e 20% deles é considerado como criadouros em potencial.

Engenheiros podem ser responsabilizados por focos do aedes aegypti dentro de obras abandonadas em Campo Grande. O vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus colocou o município em alerta e o combate ganhou reforço da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista (Decat).

O processo ocorre com a notificação do proprietário e aplicação de multa de R$ 1,8 mil a R$ 7,3 mil pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur). Caso isso não surta o efeito necessário, o caso passa ser encaminhado para a delegacia de polícia civil que apura indício de crime.

FORÇA TAREFA

O combate a dengue conta com efetivo de 2,5 mil agentes de saúde, ampliação do horário de atendimento nos postos e reforço com militares do Exército. Hospitais de campanha foram montados, com acréscimo de 10 leitos, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Vila Almeida e Universitário. As estruturas, no entanto, ainda não foram utilizadas.

Comentários

comentários