Empresário diz que a proposta do Santos a Lucas Lima ‘não compensa’

Lance!/JP

Santos ofereceu proposta de renovação até 2021 e R$ 41 milhões ao meio-campista (Foto: Ivan Storti / Santos FC)

O Santos vai ter trabalho para manter Lucas Lima no elenco em 2018. Empresário que agenciava a carreira do meia antes do atleta ser representado pela empresa do pai de Neymar, Wagner Ribeiro desconversou sobre a sondagem do Barcelona ao meia, mas revelou que ele também está na mira de um clube italiano. Além disso, Wagner adiantou que a proposta oferecida pelo Alvinegro Praiano “não compensa economicamente” para o atleta.

“Do Barcelona não veio nada oficialmente, mas um clube italiano me procurou, dizendo se ele estará livre em janeiro. Queriam ele agora, nessa janela. Como ele estará livre somente em janeiro…”, disse Wagner, sem revelar os nomes do interessado, mas deixando claro que o Santos não terá vida fácil para renovar o acordo com o jogador.

“A proposta do Santos é uma das melhores do futebol brasileiro. Maravilhosa. O Santos tem que pagar uma multa para a Doyen se não vendê-lo. Mas, para ele, economicamente, não compensa. Estou viajando na semana que vem para o exterior e vou tratar com um clube italiano. Tem outros clubes que estão nos procurando também”, avisou Wagner.

Lucas Lima tem contrato com o Santos até dia 31 de dezembro, mas já pode assinar um pré-contrato com outro clube a partir de 1º de julho, deixar o clube de graça ao término do vínculo e ainda receber o valor das luvas diretamente do clube interessado na contratação.

Há dois meses, o Peixe ofereceu uma proposta de renovação de quatro anos que renderia R$ 41 milhões ao jogador, mas ele ainda não aceitou. O valor dos vencimentos seria gradativo, aumentando ano a ano. Desta forma, em seu último ano, o maestro teria vencimentos em torno de R$ 800 mil, mais do que o dobro pago atualmente pelo Alvinegro.

Além da possibilidade de liberar Lucas Lima de graça, o Peixe também tem outra preocupação. O clube pode ter que pagar R$ 8 milhões para o Doyen Sports, fundo que emprestou R$ 5 milhões ao clube para comprar o meia em 2014. Uma das cláusulas do contrato de empréstimo implica no pagamento do valor citado caso Lucas Lima deixe o clube no fim do acordo. O Peixe tem 10% dos direitos de Lucas Lima, enquanto o Doyen Sports detém 80% e a empresa Khoddor Soccer outros 10%.

Comentários

comentários