Em visita ao Aquário do Pantanal ministro Mangabeira afirma que obra é ousada

Durante a visita do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE/PR), Roberto Mangabeira Unger, na tarde de hoje (8), às obras do Aquário do Pantanal, o ministro definiu a obra como audaciosa e com o maior benefício de aprofundar o sentimento de identidade coletiva nos sul-mato-grossenses. “Trata-se de uma obra audaciosa que tem como grande vantagem, além de estimular o turismo e a pesquisa, aprofundar o sentimento de identidade coletiva e engrandecer o espírito dos brasileiros e dos sul-mato-grossenses”, frisou.

Ministro visitou as obras do Aquário do Pantanal
Ministro visitou as obras do Aquário do Pantanal

Durante a visita que durou cerca de uma hora e meia, Mangabeira pode conhecer as diversas particularidades da obra, considerada complexa e única. “É o primeiro aquário de água doce do mundo, é imponente e diferente da arquitetura da cidade e os processos executivos são estudados dia a dia, não tem receita de bolo. As etapas são sincronizadas, agora já estamos no acabamento, mas esse será demorado e todas as decisões que tomamos é em conjunto e com o arquiteto Ruy Othake. Por exemplo, o forro do auditório para cada avanço há uma discussão”, explicou um dos engenheiros responsáveis pelo Aquário, Domingos Sávio, que ciceroneou o ministro durante a visita.

Com um olhar poético sobre a obra, Mangabeira também destacou a importância da abundância de vida pantaneira em pleno centro urbano. “Aqui estaremos cercados pela abundância da vida do Pantanal no Brasil Central. A pujança, a grandeza excessiva da natureza. O ‘excesso’ dessa obra será uma inspiração, um chamamento, um desafio permanente, ela evoca o tema central do nosso País que é esse casamento da inteligência com a natureza”, ilustrou. Ainda segundo o ministro qualquer obra ousada implica riscos. “Mas como disse o filósofo a respeito da ciência: o objetivo é cometer erros o mais rápido possível”, inferiu quando questionado a respeito da morte dos peixes em quarentena.

obre o prazo para o término da obra, Domingos foi assertivo . “Temos um cronograma para inaugurar até novembro e estamos nos empenhando nisso. É um pedido do Governo do Estado”.

A visita do ministro também foi acompanhada pelo assessor de Relações com os Municípios da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), André Borges; peo superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação, Renato Roscoe; pelo diretor-presidente da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Marcelo Turini; pelo diretor-presidente da Fundtur, Nelson Cintra e outras autoridades.

Comentários

comentários