Em um ano, CCR contabiliza 29% menos acidentes com mortes na BR-163

Gestores de Atendimento da empresa CCR MSVia, durante coletiva de imprensa. (Foto: Paulo Francis)
Gestores de Atendimento da empresa CCR MSVia, durante coletiva de imprensa. (Foto: Paulo Francis)

A CCR MSVia, empresa responsável pela concessão dos pedágios nas rodovias de Mato Grosso do Sul, divulgou na tarde desta quinta-feira(15), o balanço de um ano de operação do SAU(Serviço de Atendimento ao Usuário da BR-163).

De acordo com informações do Gestor de Atendimento da empresa, Fausto Camilotti, houve uma redução considerável nos acidentes com mortos comparando o período dos anos de 2013/2014 à 2014/2015, de 62 para 45 óbitos, ou seja, uma queda de 29% no total.

O gestor destaca que esse progresso é atribuído as diversas frentes de trabalho tomadas pela CCR, como operações especiais, educação no trânsito com distribuição de panfletos informativos, aplicação de faixas de orientações e alerta, alem de destacar o papel fundamental de apoio da PRF(Policia Rodoviária Federal).

“Somente no último feriado de Nossa Senhora Aparecida, foram distribuídos mais de 5000 informativos aos motoristas com orientações e dicas de como trafegar nas estradas. Sempre nos atentamos ao uso do cinto de segurança, cuidados com dias de chuva, em ultrapassagens, principalmente em trechos onde ainda não há duplicação, entre outras ações”, diz Fausto.

Viatura de Socorro médico da CCR MSVia. (Foto: Paulo Francis)
Viatura de Socorro médico da CCR MSVia. (Foto: Paulo Francis)

Entretanto, o gestor de atendimento ao cliente, Keller Rodrigues, alega que muitos usuários tem procurado rotas alternativas para fugir do pagamento do pedágio, e por esse motivo será lançada uma campanha na próxima semana afim de mostrar às pessoas que o pagamento sai muito mais em conta, pelos benefícios que a estrada privatizada traz.

“Foi feito um estudo para calcular os gastos de andar em outras estradas do que em nossas rodovias. Nossas estradas são da mais alta qualidade, podemos oferecer serviço médico, mecânicos, asfalto em excelente condição, sinalização e drenagem para que a água não fique empossada na pista. Todas essas condições culminam em um melhor desempenho do veículo, mais agilidade na viagem, em comparação com rotas alternativas que pode até gerar uma maior depreciação do veículo, alem de não ter todos esses benefícios”, finaliza.

Paulo Francis

Comentários

comentários