Em segurança, sul-mato-grossenses tranquilizam familiares pelo Facebook

Logo após os atendados que espalharam pânico não só em Paris, mas por todo o mundo, várias pessoas apressaram-se em mandar notícias para os parentes de dentro e fora da França. Pelas redes sociais, estrangeiros em Paris postam mensagens tranquilizando amigos e familiares.

O universitário de Três lagoas Felipe Teixeira  vive na cidade francesa de Saint-Étienne Foto Reprodução Facebook
O universitário de Três lagoas Felipe Teixeira vive na cidade francesa de Saint-Étienne Foto Reprodução Facebook

O universitário de Três lagoas Felipe Teixeira vive na cidade francesa de Saint-Étienne, a 409 quilômetros de Paris, mesmo assim, logo após os atentados tratou de avisar aos amigos e familiares que passava bem.

Já o o jornalista Mario Pinheiro, de Campo Grande, vive há vários anos na França. Em um relato emocionado, ele descreve o sentimento do país neste sábado.

“O pânico era evidente, geral, correria, gritaria, pessoas que deitavam no chão para se proteger, outras eram atingidas na cabeça, no braço, nas pernas. O objetivo deles era matar o maior número de pessoas num curto espaço de tempo. Os carregadores foram trocados várias vezes. Daech, grupo terrorista instalado na Síria, denominado Estado Islâmico, reivindica o atentado e diz que o ato é uma reposta aos ataques da França contra a Síria. Após as primeiras deflagrações diante do estádio, o presidente François Hollande foi evacuado por questão de segurança e tomou as primeiras decisões de reforçar a vigilância em todo território. O estado de urgência foi decretado para proteger os cidadãos, as instituições publicas estão fechadas assim como os museus, 11 linhas de metrô e as saídas escolares anuladas. Todos estão em estado de choque diante da barbárie. O luto nacional foi decretado, as fronteiras fechadas e 10 mil os soldados nas ruas. A emoção ronda as ruas”.

Révilla Martins, de Sonora, vive em Glasgow, no Reino Unido. Com medo, ela diz que não sairá de casa neste sábado. “Na verdade estou meio sem acreditar no que aconteceu. Não quero entrar em pânico, mas minha cidade é a terceira maior do Reino Unido e isso nos coloca em alguma situação de perigo. Estou assustada”, disse.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou na manhã deste sábado (14) a autoria dos atentados terroristas que deixaram pelo menos 127 mortos e 180 feridos, na noite desta sexta-feira (13), em Paris, na França.

Comentários

comentários