Em 4 meses apreensões de drogas aumentam quase 23% em Mato Grosso do Sul

Aumentaram em quase 23% nos últimos 4 meses, as apreensões de drogas em Mato Grosso do Sul em comparação como o mesmo período do ano passado. De janeiro a abril de 2015 as polícias tiraram de circulação 48,6 toneladas de drogas, contra 59,8 mil quilos apreendidos nos primeiros 4 meses deste ano, o que representa um crescimento real de 22,9%.

As maiores apreensões de drogas foram realizadas nos municípios sul-mato-grossenses que fazem fronteira com o Paraguai e a Bolívia, onde o aumento é ainda maior. De acordo com o diretor-executivo do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), coronel Ary Carlos Barbosa, de janeiro a abril deste ano foram 150% a mais de apreensões de maconha e 140% de cocaína, em comparação com 2014. Em números são mais 11,9 toneladas de maconha e 174 quilos de cocaína tirados de circulação somente pelo DOF.

DOF-AMAMBAI-1.3-TON-MACONHA-672x372

Para o diretor-executivo do DOF o crescimento nas apreensões é resultado do trabalho integrado das forças, comprometimento dos policiais e atuação do serviço de inteligência, porém, houve também aumento da demanda por drogas. “Percebemos que há maior demanda por conta dos grandes carregamentos que estamos tirando de circulação e que tinham como destino os grandes centros do país. Graças a qualificação e comprometimento dos nossos policiais, conseguimos impedir que esta droga chegasse a outros estados”, pontua.

As maiores apreensões realizadas pelas polícias são de maconha, que tiveram crescimento de 26% de janeiro abril. No ano passado foram 46,3 toneladas da droga e este ano 58,3 mil quilos. Para o titular da Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), delegado Rodrigo Yassaka, os números refletem o cenário atual das leis brasileiras. “Afrouxaram a repressão ao consumo e de imediato isso refletiu em aumento do tráfico em todas as cidades, especialmente nos estados fronteiriços”, destaca.

Trabalhando com o serviço de inteligência para mapear os pontos de vendas de drogas em todo o Estado, especialmente em Campo Grande, Yassaka garante que houve crescimento da atividade criminosa, com o surgimento de novas “bocas de fumo” e aumento considerável no número de pessoas envolvidas com o tráfico de drogas. Para se ter uma ideia, em 2014 foram 2.094 prisões em flagrante por tráfico de drogas, em 2015 subiu para 2.363, uma variação positiva de 12,8%, o que sobrecarrega o sistema prisional do Estado.

Dos mais de 15 mil presos existentes em Mato Grosso do Sul, 39% foram sentenciados pela Justiça e cumprem penas por tráfico de drogas. Desse percentual 85% são mulheres e 15% homens. Dos crimes internacionais, em sua maioria drogas e armas, são 624 presos no Estado, 158 deles estrangeiros.

De janeiro a abril deste ano 692 pessoas foram presas por tráfico de drogas no Estado, em comparação com o mesmo período de 2015 houve uma queda de -11,4%. As apreensões de menores em flagrante por este crime também caíram de 159 para 147 do primeiro quadrimestre do ano passado em comparação com o mesmo período deste ano.

Fonte: Sejusp 

Comentários

comentários