Em 10 meses, indústria estadual demite 6,1 mil trabalhadores

De janeiro a outubro deste ano, o setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, demitiu 6.126 trabalhadores, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. De acordo com o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, outubro registrou o 8º mês consecutivo com redução de postos de trabalho na indústria sul-mato-grossense, com saldo negativo de 295 vagas.

25industriaAinda de acordo com Ezequiel Resende, no ano, as maiores reduções foram registradas na indústria da construção (-2.361), indústria têxtil e do vestuário (-1.267), indústria química (-975), indústria de produtos alimentícios e bebidas (-785), indústria mecânica (-635) e indústria metalúrgica (-393). “Apenas no mês de outubro os segmentos industriais que apresentaram as maiores reduções foram indústria química (-393), indústria da construção (-208) e indústria têxtil e do vestuário (-149)”, detalhou.

Ele ressalta que, no conjunto da economia estadual, no mês de outubro foram abertas somente 41 vagas, enquanto no acumulado do ano o resultado aponta o encerramento de 2.667 postos de trabalho. “Contudo, a média para o período, considerando o intervalo de 2005 a 2015, é 20.384 vagas abertas. Ou seja, o desempenho de janeiro a outubro deste ano é 113% menor que o resultado médio historicamente obtido para o mesmo intervalo”, explicou.

Ezequiel Resende destaca que o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou outubro de 2015 com um contingente de 128.557 trabalhadores formalmente empregados, queda de 0,28% em relação a setembro. “Mesmo com a redução ocorrida no mês de outubro, a indústria segue apresentando o 3º maior contingente de trabalhadores formais do Estado. Atualmente, a atividade industrial responde por 19,8% de todo o emprego formal existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás do segmento de serviços, que emprega 192.678 trabalhadores com participação equivalente a 29,6%, e da administração pública, com 130.369 trabalhadores ou 20% do total”, detalhou.

Especificações

Em Mato Grosso do Sul, no período de janeiro a outubro de 2015, ao todo 90 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 3.504 vagas. Entre as atividades industriais com saldo positivo de pelo menos 150 vagas destacam-se abate de suínos, aves e outros pequenos animais (+584), construção de obras de arte especiais (+271), fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado (+269), distribuição de energia elétrica (+248) e fabricação de açúcar em bruto (+222), fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel (+171) e fabricação de alimentos para animais (+160).

Por outro lado, no mesmo período, 120 atividades industriais apresentaram saldo negativo no Estado, proporcionando o fechamento de 9.630 vagas. Entre as atividades industriais com saldo negativo de pelo menos 150 vagas destacam-se abate de reses, exceto suínos (-1.518), construção de rodovias e ferrovias (-943), fabricação de álcool (-907), obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (-663), construção de edifícios (-606), fabricação de fogões, refrigeradores e máquinas de lavar e secar para uso doméstico (-485), confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (-410) e fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico (-393).

Em relação aos municípios, constata-se que em 43 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação no período de janeiro a outubro de 2015, proporcionando a abertura de 2.325 vagas. Entre as cidades com saldo positivo de pelo menos 100 vagas destacam-se São Gabriel do Oeste (+346), Nova Andradina (+220), Anastácio (+175), Itaquiraí (+174), Chapadão do Sul (+145), Angélica (+136), Rio Brilhante (+135), Bataguassu (+128), Juti (+111) e Sidrolândia (+109).

No entanto, no mesmo período, em 34 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando a fechamento de 8.451 vagas. Entre as cidades com saldo negativo de pelo menos 100 vagas destacam-se Campo Grande (-2.563), Três Lagoas (-1.290), Bataiporã (-650), Nova Alvorada do Sul (-646), Dourados (-636), Naviraí (-457), Paranaíba (-451), Caarapó (-413), Corumbá (-296), Aparecida do Taboado (-208), Eldorado (-160), Ribas do Rio Pardo (-138) e Iguatemi (-106).

Comentários

comentários