Eleições Cassems para o triênio 2016 à 2019 acontecem nesta sexta-feira (4)

O presidente da Cassems e candidato pela "Chapa 01", Ricardo Ayache durante entrevista no programa Capital Meio Dia. (Foto: Paulo Francis)
O presidente da Cassems e candidato pela “Chapa 01”, Ricardo Ayache durante entrevista no programa Capital Meio Dia. (Foto: Paulo Francis)

Na próxima sexta-feira (04), acontecem as eleições para a presidência da Cassems e é neste momento que o beneficiário da Caixa dos Servidores deve fazer valer o seu papel de dono do plano de saúde. Cerca de 50 mil associados titulares irão definir, por meio do voto direto, a administração da Cassems para o próximo triênio (2016-2019).

O período de votação é das 8h às 18h, em todas as Unidades Administrativas da Caixa dos Servidores. Na Capital, os locais são a sede da unidade localizada na Rua Antonio Maria Coelho, no Centro Médico da Avenida Afonso Pena, no Centro de Diagnóstico da Avenida Via Park e no Centro de Prevenção da Rua Abraão Júlio Rahe. O beneficiário deve levar sua carteira Cassems e um documento com foto.

Estão aptos a votar os associados efetivos do Estado e aposentados em dia com as suas obrigações financeiras e com a situação cadastral, de acordo com o Art. 23 1ª do Estatuto. Para votar, o beneficiário deve procurar uma das 76 Unidades Administrativas da Caixa dos Servidores munido da sua carteira Cassems e de um documento com foto.  Não estão aptos a votar os participantes (pensionistas, comissionados, convocados, todos os dependentes, conveniados municipais e reciprocidade).

O atual presidente da entidade, Ricardo Ayache, que encabeça a “Chapa 1”, destaca a importância da participação de todos os servidores nesse processo democrático da entidade onde todos podem participar e fortalecer cada vez mais a Cassems.

“Neste mês nós estamos completando 15 anos e se tem algo que foi importante para o desenvolvimento do nosso plano de saúde, foi a participação efetiva dos servidores públicos, das lideranças sindicais e o trabalho profissionalizado feito pelo conselho e diretoria da Cassems. Portanto a sua participação é fundamental para a construção e desenvolvimento e também para a sustentabilidade para o plano”, explica.

Ayache destaca que nas eleições anteriores muitos servidores aptos a votarem deixaram de exercer o seu direito democrático, o que é visto como uma grande perda participativa para uma maior consolidação do plano no Estado.

“Historicamente nós temos uma média de votação de 20 a 30%, e nós precisamos ampliar isso, pois é muito importante que tenhamos mais participação, que busquemos fortalecer a Cassems para que consigamos vencer todos os desafios que se faz em presentes no dia a dia na gestão da saúde no Mato Grosso do Sul e também no Brasil”, finaliza.

Paulo Francis

Comentários

comentários