Ele teve um surto, diz namorada de lutador acusado de matar homem em hotel

A namorada do lutador de jiu-jitsu Rafael Martinelli Queiroz, Carla Maiara Medeiros Dias, 24, disse em entrevista ao jornal Folha de São Paulo acreditar que a mistura de medicamentos para emagrecer e suplementos para o treinamento físico possa explicar o ataque de fúria do namorado preso sob suspeita de matar, a cadeiradas, um hóspede do hotel onde estavam hospedados. O crime ocorreu na noite do sábado (18).

Ao ouvir gritos durante a discussão entre o lutador e a namorada, o vendedor Paulo Cezar de Oliveira, que estava hospedado no mesmo hotel do (Vale Verde, na Avenida Afonso Pena, no Bairro Amambaí), abriu a porta e foi surpreendido por Rafael, que o agrediu com socos, chutes e cadeiradas. O vendedor não resistiu aos ferimentos.

Rafael destruiu boa parte do hotel: quebrou câmeras de vigilância e objetos do hotel, e arrombou as portas dos apartamentos do segundo andar. Ele estava na capital sul-matogrossense para participar de um campeonato de luta.

Após as agressões e depredação, ele foi encontrado por policiais do outro lado da rua onde fica o hotel. Na delegacia, o acusado resistiu à prisão. Uma equipe especial teve que ser chamada para levá-lo para outro espaço mais reforçado.

Carla está na casa dos pais, em Valparaíso (a 564 km de São Paulo. Ela nega qualquer relação do surto com uma suposta briga entre o casal. Inclusive, Rafael chegou a dizer a polícia que teria “perdido o controle” após descobrir que o filho que a namorada está esperando não era dele, o que é negado com veemência por ela.

“Ele não me agrediu nem fez nada, ele tentou, mas eu consegui fugir. Foi um surto mesmo sem explicação. Ele nunca teve um ataque de ciumes. O filho que estou esperando é dele. Estávamos felizes, tínhamos planejado a viagem para Campo Grande há dois meses atrás. Temos toda uma história, faz dois anos que namoramos e estava tudo bem. Eu não sei o que aconteceu e esse surto fez ele imaginar tudo isso, achar que o filho não era dele e ficar agressivo”, disse.

Rafael vai responder por homicídio qualificado (por motivo fútil e por dificultar a defesa da vítima), lesão corporal dolosa no âmbito da violência doméstica (por ter atacado a namorada), por dano qualificado (d

Comentários

comentários