Educação do Estado estuda pedido dos prefeitos para adiar início letivo

A Secretaria de Estado de Educação, o Governo do Estado e a Undime (União dos Dirigentes Municipais de Educação) estão estudando a mudança solicitada pela Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) de adiar o início das aulas na rede pública de ensino, previsto para 15/2, seja adiado para 29/2, em função das fortes chuvas no interior de Mato Grosso do Sul e que têm causados alagamentos e prejuízos nas estradas.

Secretária de Educação, Maria Cecília Amêndola (Foto: Divulgação/SED)
Secretária de Educação, Maria Cecília Amêndola (Foto: Divulgação/SED)

A SED montou duas novas propostas de calendário, um para início em 22/2 e outro para 29/2. “Nossos estudantes são transportados pelas prefeituras e por isso precisamos fazer um calendário único”, explica a secretária de Estado de Educação, Maria Cecilia Amendola da Motta.

De acordo com a proposta da SED, caso as aulas iniciem no dia 29/2, os professores serão chamados no dia 22/2 para o planejamento e estes já serão contados como letivos.

“Nós temos cinco sábados letivos e aumentaríamos um pouco, mas neste calendário que estamos propondo estes sábados seriam para Conselhos de Classe e reunião de pais e mestres e que nós também consideraríamos como dias letivos”, afirma a secretária.

Para a secretária Maria Cecilia, a decisão deve ser tomada pensando em todo o Estado e sem prejuízos à qualidade da educação. “Se tivermos que adiar nós vamos estudar muito para que não haja impacto nas famílias e na aprendizagem, que é o nosso foco. Vamos pensar na otimização do tempo em sala de aula, com qualidade e com professores competentes”, finaliza.

Comentários

comentários