Edil anuncia que projeto da Cidade dos Ônibus finalmente sairá do papel

O líder do prefeito Gilmar Olarte (PP) na Câmara, vereador Edil Albuquerque (PMDB), anunciou na manhã desta sexta-feira (3), durante entrevista ao programa Tribuna Livre da Capital FM, e ao portal Página Brazil, que o projeto da Cidade dos Ônibus – idealizado em 2011, ainda durante a gestão Nelson Trad Filho (PMDB), finalmente deve superar à burocracia e sair do papel.

IMG_20150703_080051

De acordo com o vereador, “o projeto que prevê a transferência das garagens das empresas intermunicipais e interestaduais de transporte de passageiros, da região central para uma área no macro-anel na região das Moreninhas, deve tirar de circulação das principais vias de Campo Grande cerca de 600 ônibus de viagem”, comemorou.

“A expectativa é que, somente com as nove empresas já incluídas no projeto, sejam gerados aproximadamente 1.100 novos empregos nos próximos 180 dias”, afirmou o vereador.

A Cidade dos Ônibus terá capacidade para acolher 19 empresas no total. Além das nove empresas já confirmadas, outras dez já estão negociando com a prefeitura a participação no projeto”, anunciou.

Segundo o vereador, “o projeto deve propiciar o crescimento da região, com a diminuição do tempo que moradores perdem deslocando-se da região para o local de trabalho, que o Direito Trabalhista chama de horas ‘in itinere'”. Edil deu como exemplo, “moradores das Moreninhas que hoje trabalham no Núcleo Industrial, na saída para Aquidauana, que terão mais opções de emprego na região em que residem”.

Albuquerque relacionou ainda a estrutura que será oferecida pelo projeto da Cidade do Ônibus: “A EMHA (Empresa Municipal de Habitação) deve construir moradias que contemplem prioritariamente aos trabalhadores da região. Uma creche, um restaurante e um posto de gasolina serão construídos também dentro da estrutura.”

Ainda segundo o vereador “A CCR Vias, empresa vencedora da concorrência para a duplicação da BR-163, construirá no local sua estrutura de monitoramento de todo o trecho privatizado da rodovia federal em MS. De Mundo Novo, na divisa com o Paraná, até Sonora, na divisa com Mato Grosso. A construção da Central de Monitoramento deve agregar valor à economia de toda a região, com a chegada da mão-de-obra qualificada dos trabalhadores da empresa e propiciar também a valorização imobiliária”.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários