Dólar recua 1,86%, maior queda em um mês, e fecha a R$ 3,443

O dólar comercial teve a segunda queda seguida nesta segunda-feira (10), fechando em baixa de 1,86%, a R$ 3,443 na venda.

Moeda norte-americana fechou a R$ 3,443 (Foto: Ilustração)
Moeda norte-americana fechou a R$ 3,443 (Foto: Ilustração)

É a maior queda percentual diária desde 10 de julho, quando a moeda norte-americana fechou com perdas de 2,3%.

O dólar tinha acumulado alta de 2,44% na semana passada.

Cenário brasileiro

O dia foi de poucas notícias relevantes para o mercado financeiro. “Está havendo uma acomodação (da moeda) diante da falta de notícias”, afirmou à agência de notícias Reuters o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo, lembrando das fortes altas do dólar nas últimas semanas. Só em julho, o dólar avançou mais de 10%.

Investidores continuavam preocupado com o cenário político. O medo é que a queda de credibilidade do país afaste investimentos para cá.

“Os mercados brasileiros continuam focados mais em eventos políticos domésticos do que em indicadores econômicos”, escreveram analistas do banco de investimentos JPMorgan em nota a clientes, reforçando a incerteza sobre a aprovação de medidas do ajuste fiscal pelo Congresso Nacional e o noticiário sobre a possibilidade de a presidente Dilma Rousseff não concluir seu mandato.

Atuações do BC

O Banco Central continuou a rolar os contratos de swap cambial (equivalentes à venda futura de dólares) que vencem em setembro, vendendo a oferta total de até 11 mil contratos.

Os leilões de rolagem servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.
Ao todo, o BC já rolou US$ 2,232 bilhões, ou cerca de 22% do total que vence no mês que vem.

Contexto internacional

Nos mercados externos, investidores estavam atentos à possibilidade de o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) começar a elevar os juros no mês que vem. Juros mais altos nos EUA podem atrair para lá recursos atualmente aplicados em países como o Brasil.

Com Informações Reuters

Comentários

comentários