Dólar cai pelo quarto dia, fecha a R$ 3,739, e queda na semana é de 2,21%

Após começar o dia em alta, o dólar comercial inverteu o movimento e fechou esta sexta-feira (4) em queda pelo quarto dia seguido.

Moeda americana fecha a semana em queda (Foto: Ilustração)
Moeda americana fecha a semana em queda (Foto: Ilustração)

Na sessão de hoje, a moeda norte-americana caiu 0,26%, a R$ 3,739 na venda. Esse é o menor valor de fechamento desde 24 de novembro, quando o dólar encerrou o dia valendo R$ 3,704.

Com isso, o dólar fecha a semana com baixa de 2,21%. Na véspera, o dólar havia caído 2,26%.

No mês, a moeda acumula desvalorização de 3,80%. No ano, no entanto, já subiu 40,63%.

Emprego nos EUA

O governo norte-americano divulgou nesta sexta-feira que a geração de empregos no país desacelerou em novembro. No entanto, foram criadas 211 mil novas vagas, mais do que o esperado por analistas consultados pela agência de notícias Reuters.

Com esse dado positivo, investidores acreditam que a taxa de juros nos Estados Unidos pode subir ainda neste mês. A partir daí, ela iniciaria uma trajetória de alta aos poucos.

Juros mais altos nos EUA poderiam atrair para lá recursos atualmente investidos em países onde as taxas são mais altas, como é o caso do Brasil.

Crise política no Brasil

No cenário nacional, investidores continuavam de olho na crise política e econômica.

Na quarta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitou a abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff (PT). A ação ainda deve tramitar por diversas etapas antes de resultar em uma votação final que decida o futuro da presidente.

Ontem, o STF (Supremo Tribunal Federal) rejeitou duas ações apresentadas por aliados de Dilma contra a abertura do processo.

“Há uma visão otimista, que acredita que o impeachment pode romper o impasse político que impediu que o governo comece a resolver a péssima situação econômica. Também há uma visão pessimista, que enfatiza que os custos do processo de impeachment são altos, especialmente no curto prazo. Estamos nesse segundo campo”, escreveram analistas do banco JPMorgan em nota a clientes.

Ainda na véspera, a agência de classificação de risco Moody’s afirmou que a decisão sobre o impeachment complica o já desafiador ambiente político nacional e tem potencial de piorar as perspectivas de crescimento no curto prazo.

Atuações do BC

Pela manhã, o BC deu continuidade à rolagem dos swaps cambiais (equivalentes à venda futura de dólares) que vencem em janeiro. Ao todo, o BC já rolou o correspondente a US$ 2,190 bilhões, ou cerca de 20% do lote total, equivalente a US$ 10,694 bilhões.

Os leilões de rolagem servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.

Com Informações Reuters

Comentários

comentários