Do quase ao pódio: Poliana é bronze após desclassificação de francesa

A disputa da maratona aquática aconteceu, nesta segunda-feira (15), apenas pela terceira vez na história dos Jogos Olímpicos. Após ser inserida no torneio em Pequim-2008, a prova foi disputada em Londres-2012 como parte do programa de natação, mas passou a ser considerada uma modalidade individual a partir dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. E com apenas três edições, o Brasil já conquistou sua primeira medalha na prova, e ainda com um sabor especial e com uma dose de emoção.

Poliana Okimoto ganha bronze na maratona aquática (Foto: Reprodução/SporTV)
Poliana Okimoto ganha bronze na maratona aquática (Foto: Reprodução/SporTV)

A medalha de ouro ficou com a holandesa Sharon Van Rouwendaal, que completou os 10 quilômetros da prova em 1h56m32s1. A francesa Aurelie Muller fez excelente prova de recuperação e ficaria com a medalha de prata ao percorrer a distância em 1h56m48s7, mas a direção da prova desclassificou a atleta após considerar que ela impediu que a italiana Rachele Bruni tocasse a linha de chegada. Com isso, a italiana, que terminou a prova em 1h56m49s5, acabou saltando para a segunda colocação, com tempo pouco inferior ao de Poliana, que realizou a prova em 1h56m51s4 e acabou promovida para a terceira posição. Na 10ª colocação, Ana Marcela Cunha completou a prova em 1h57m29s.

Após a decisão dos organizadores, a Federação Francesa de Natação entrou com recurso para rever a decisão que tirou a medalha de prata de Aurelie.

Primeira parcial

O pelotão de 26 atletas iniciou a prova no Forte de Copacabana às 10h. Após 30 minutos, a primeira parcial, que é medida após 2,5 quilômetros percorridos, trazia a brasileira Ana Marcela Cunha na liderança da prova, com tempo de 30m51s. A atleta era seguida de perto pela compatriota Poliana Okimoto, que cravou 30m53s1. A holandesa Sharon Van Rowendaal cruzou a primeira boia com o mesmo tempo de Poliana, ocupando a terceira colocação.

Segunda parcial

A segunda parcial, medida após 5 quilômetros de prova, trouxe as brasileiras pouco atrás das posições obtidas na primeira parcial. A queda de rendimento foi provocada pela passagem no posto de abastecimento. As atletas também diminuíram um pouco o ritmo para guardar gás para a reta final da prova.

Terceira parcial

Na terceira parcial, medida após 7,5 quilômetros percorridos, a prova era liderada por Sharon Van Rouwendaal, que havia feito o trajeto em 1h29m29s5. A italiana Rachele Bruni seguia de perto a europeia com tempo de 1h29m33s4. Poliana Okimoto recuperou-se bem da segunda parcial e ocupava a terceira colocação, com 1h29m34s5. Ana Marcela Cunha terminou a etapa na 7ª colocação, percorrendo a distância em 1h29m38s4.

Reta final

Faltando apenas 2,5 quilômetros para o fim da prova, Poliana Okimoto seguia de perto as atletas europeias que lideravam a prova. Já Ana Marcela Cunha sofria para retomar o bom ritmo do início. Contudo, na reta final, a francesa Aurelie Muller teve recuperação espetacular e acabou na segunda colocação. Com isso, a italiana Rachele Bruni acabou caindo para a terceira colocação, tirando a oportunidade de Poliana conquistar sua primeira medalha em Jogos Olímpicos. Ana Marcela também caiu de ritmo e perdeu quatro posições, terminando a prova na 10ª colocação.

Comentários

comentários