Discussão fútil motivou morte de militar e policial civil

O policial civil Dalmir Martins da Silva, 50 anos. e o sub-tenente aposentado do Exército Denilvaldo Teixeira Santos, 58 nos, morreram depois de uma briga e troca de tiros durante uma festa de confraternização na noite de quinta-feira (18), em Campo Grande. Segundo a Polícia Civil, que investiga o caso, os dois morreram no local da briga.

Policial e militar do Exército morrem após trocarem tiros em festa em MS (Foto: Reprodução/ TV Morena)
Policial e militar do Exército morrem após trocarem tiros em festa em MS (Foto: Reprodução/ TV Morena)

O caso aconteceu em uma garagem de veículos na rua Trindade, no bairro Vila Ieda, no fim da tarde. O policia civil e o sub-tenente do Exército já se conheciam, segundo testemunhas, mas aparentemente não tinha desavença e estariam bebendo na festa.

O desentendimento entre os dois teria começado durante a confraternização, que outras oito pessoas presentes, entre funcionários e amigos do dono da garagem. Eles disseram à polícia que pouco antes da briga, o policial saiu do local e viu um caminhão parado em frente à casa dele, atrapalhando a entrada. Por conta disso, o policial voltou ao local da festa e contou o fato para o militar do Exército, que orientou que o policial desse tiros no pneu.

Ele não gostou de ter recebeido o conselho e, por isso, os dois começaram a discussão .Em determinado momento, o investigador disse que precisava sair do local senão atiraria no militar. Um dos convidados o acompanhava para fora da garagem, quando ao se aproximarem do portão, Denilvaldo sacou um revólver, calibre 38. Dalmir viu e também apontou a pistola ponto 40 que usava no trabalho, e ambos atiraram.

Durante a troca de tiros, quem estava na festa tentou se proteger escondendo atrás dos carros que estavam à venda. O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas os dois morreram antes da chegada do socorro.

O crime aconteceu por volta das 18h mas testemunhas disseram que os dois estavam bebendo na garagem desde o começo da tarde. A perícia esteve no local e apreendeu a arma do militar, um revólver, e a do policial civil, uma pistola .40. O caso foi registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Piratininga.

Comentários

comentários