Diretor do Grupo Capital de Comunicação e Sergio Cruz são homenageados nos 100 anos da Santa Casa

Silvio Ferreira

Comemorar um século de história da Santa Casa de Campo Grande é relembrar e homenagear, tanto personagens visionárias, que idealizaram e viabilizaram a criação do hospital, quanto quem contribui até hoje, nos mais variados setores da sociedade, para garantir a longevidade do maior hospital de Mato Grosso do Sul.

Nada mais emblemático do que comemorar essa história em um auditório denominado “Carroceiro Zé Bonito” – apelido pelo qual era mais conhecido José Mustafá, uma das mais importantes figuras dos primórdios do hospital. Na década de 1920, Mustafá transportou voluntariamente, por quatro anos, materiais para construção da Santa Casa quando muitos criticavam a iniciativa de se criar um hospital beneficente para atender a população menos favorecida, em uma cidade com apenas algumas dezenas de milhares de habitantes. “O tempo mostrou quem estava com a razão”, declarou Esacheu Nascimento, presidente da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), entidade gestora do hospital.

“Hoje, ninguém consegue imaginar a cidade de Campo Grande sem seu hospital de referência, o quarto maior do País em dimensão física, mas o terceiro em resolutividade. Se hoje, enfrentamos muitas dificuldades na gestão do hospital, por maiores que sejam, elas certamente não são maiores do que as enfrentadas pelos seus idealizadores no final da década de 1910, nem do que as enfrentadas por quem ajudou a construir o atual prédio utilizado pela instituição, na década de 1970”, reconheceu o presidente da Santa Casa.

Soma-se à filantropia dos idealizadores do unidade médica, que até hoje é referência no estado, a contribuição constante de seus colaboradores. Eles foram homenageados pela direção da ABCG na figura de Dona Joaninha, que trabalhou mais de 40 anos na Santa Casa e que recebeu a comenda e a medalha do Centenário da Santa Casa, representando todos os profissionais do hospital, sob aplausos de todos os participantes da cerimônia.

Também foram homenageados representantes dos mais diversos setores da sociedade sul-mato-grossense que contribuem para a longevidade da Santa Casa que, mesmo centenária, ainda têm fôlego para ser a protagonista entre as unidades hospitalares do estado em procedimentos médicos de média e alta complexidade e atendimento gratuito.

Oitenta pessoas receberam a comenda e a medalha comemorativa do Centenário da Santa Casa. Representantes dos três poderes – senadores, deputados federais e estaduais; secretários estaduais e prefeitos de diversas cidades do Interior; representantes da Justiça – e ainda comandantes militares, presidentes e diretores das mais importantes entidades civis e empresariais de Mato Grosso do Sul foram homenageados.

Em entrevista ao Página Brazil, o deputado federal e médico, Luiz Henrique Mandetta (DEM), prestou sua homenagem aos 100 anos de história da Santa Casa de Campo Grande, representando os parlamentares federais e estaduais de Mato Grosso do Sul, bem como os profissionais da área da Saúde: “Quero homenagear esta entidade fundamental para a população do Estado, falando como quem conhece cada pedaço deste hospital. Parabéns Santa Casa!”, disse o parlamentar federal.

O diretor do Grupo Capital de Comunicação (integrado pela Capital FM e por mais cinco emissoras de rádio no estado, da rede LED de painéis e ainda pelo portal de notícias Página Brazil), Carlos Longo de Farias – o Cacá – foi um dos homenageados. O empresário agradeceu a honraria e comprometeu-se a “continuar contribuindo para a evolução e sucesso da Santa Casa de Campo Grande, por meio dos serviços prestados por todos os veículos de Comunicação do grupo Capital.”

Também recebeu a homenagem, outro profissional do grupo Capital, o ex-deputado estadual e federal, e jornalista, Sérgio Cruz, comentarista político do programa Tribuna Livre, da Capital FM. Cruz agradeceu a medalha e a comenda “em nome de todos os colegas jornalistas, comunicadores e empresários do setor da Comunicação, que se empenham em cumprir o papel de informar à sociedade sobre todos os fatos relativos ao bom andamento do mais importante hospital de Mato Grosso do Sul.”

Ao lado da esposa e também diretora do grupo Capital, Soraia Dibo,, Carlos Longo de Faria – o Cacá – e o outro homenageado, o  jornalista Sérgio Cruz, comentarista do programa Tribuna Livre, da Capital FM. Foto: Silvio Ferreira

Ao término da cerimônia comemorativa do Centenário da Santa Casa de Campo Grande, a ABCG ainda apresentou a restauração histórica das instalações originais do hospital, na avenida Mato Grosso, com o anúncio da instituição do memorial “Camilo Boni” e lançou o livro “Santa Casa – Patrimônio de Mato Grosso do Sul 1917-2017”, que relata os principais fatos históricos do mais importante hospital do estado em um século.

Comentários

comentários