Direção da Câmara oficializa “Campanha, só lá fora” em cartilha a vereadores

Presidente da Câmara fez anuncio oficial hoje
Presidente da Câmara fez anuncio oficial hoje

Os parlamentares de todos os Legislativos do Brasil retornaram nesta terça-feira (2) do recesso parlamentar do meio do ano, já em ritmo das eleições municipais 2016. A ação na Câmara de vereadores de Campo Grande não foi diferente, entoando ou continuando o mantra de critica e embate contra o prefeito Alcides Bernal, que durou os quatros últimos ano, e deve se intensificar ainda mais agora, que o mesmo também buscará a reeleição. Contudo, houve um destaque feito pelo presidente João Rocha, que oficializou uma documentação-cartilha que a direção da Casa redigiu para ser seguida durante o período eleitoral, como o Página Brazil havia adiantado a duas semanas. As recomendações e exigências são para todos os servidores, internos e externos dos parlamentares, bem como a serem seguidas pelos próprios vereadores-candidatados.

Na volta da Câmara Municipal, Rocha deu o ‘recado’ : “campanha, só lá fora”, onde ele disse que não era fazer policiamento, mas formalizar com alguns acréscimos e diferenças, ação já praticada em outros anos na Casa e ou recomendada em outras instituições. “Os colegas sabem, entendem que a campanha tem que ser feita fora da Casa, este é o espírito. Mas temos que cumprir o papel institucional ou mesmo externa, deixar claro, para que ninguém possa dizer ‘eu não sabia’. Tudo também, porque tem pessoas novas no ambiente e aquelas que entram na Casa, por ser aberta”, resume o presidente.

Rocha além de ‘anunciar’ ou dando ‘ciência ao plenário, comunicou que em um ato protocolar, a mesa diretora da Câmara repassará a cada um dos parlamentares as orientações sobre o andamento dos trabalhos no período de campanha eleitoral. A maioria dos vereadores é candidata à reeleição – às vésperas do fim do período de convenções, alguns ainda deixam dúvidas, mas ao menos 22 deles tentarão continuar no parlamento municipal. “(A orientação da mesa) Não é nada mais do que o já estabelecido pela lei. A gente só vai reforçar”, resume.

Apesar dos discursos acalorados e falando de ‘campanha’, em boa parte dos primeiro semestre e como já se viu neste primeiro dia de retorno do recesso, Rocha diz que o andamento dos trabalhos na Câmara deve ser normal em relação aos projetos em tramitação. O discurso, é de que a Câmara não será afetada pela campanha, que começa oficialmente no fim do mês. “Os trabalhos vão seguir como sempre, nosso mandato é até o fim do mês de dezembro. Tem que trabalhar e cumprir o que ‘contrato’, o mandato concedeu. A gente não pode misturar com a campanha para um eventual futuro mandato”, diz João Rocha.

Comentários

comentários