Dia mais frio do ano em MS pode ser registrado nesta terça-feira

Da Redação/JN

A terça-feira, 18 de julho, deve ser o dia mais frio de 2017 em Mato Grosso do Sul, segundo a meteorologia. As temperaturas podem ficar negativas com previsão de -1°C, no sul e sudoeste do estado, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Onda de frio pode provocar geada no sudeste, sudoeste e sul do estado e terça-feira deve ser dia mais frio do ano.

Na capital sul-mato-grossense, os termômetros devem variar entre 6°C e 16°C, para desespero de uns e alegria de outros, como Eudes Jorge, que diz gostar do clima frio, pois remete a ele a tradição das baixas temperaturas sulistas.

 

No leste, a mínima deve ser de 11°C e a máxima não passa dos 19°C. Situação parecida está prevista para o Pantanal, onde as temperaturas variam entre 9°C e 19°C, mas, o frio abaixo de 10°C já assusta muitos moradores de Corumbá, onde os termômetros oscilam entre 8°C e 16°C.

De domingo (16) para segunda (17), a temperatura caiu de 28°C para 8°C na Cidade Branca.

No sul e sudoeste, onde o frio geralmente é mais intenso, a máxima não passa dos 14°C e a mínima pode ficar abaixo de 0°C

Alerta

O Inmet emitiu alerta para perigo de declínio de temperatura até a quarta-feira (19). A massa fria e seca de ar pode provocar geada ao amanhecer no sudeste, sudoeste, sul e centro, mas, durante o dia o sol volta a aparecer. A umidade relativa do ar volta a cair, podendo ficar abaixo de 15% no centro-sul.

As chances de geada continuam na quarta-feira (19), quando as temperaturas voltam a subir lentamente. O fim de semana ainda deve ter mínimas de 11°C no sábado (22) e de 16°C no domingo (23), conforme a meteorologia.

Essa é a terceira onda de frio que atinge o estado neste ano, segundo o meteorologista Natálio Abrahão Filho.

O meteorologista lembra que, apesar do frio nesta semana, as mínimas estão mais amenas se comparadas com o inverno de 2013, que foi um dos mais rigorosos da história.

A próxima massa de ar polar está prevista para chegar ao estado na primeira semana de agosto, mas deve ser menos intensa.

Comentários

comentários