Detran/MS alerta para segurança no transporte de animais

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Para um trânsito seguro e preservação da vida, o transporte de pessoas, animais e cargas deve ser realizado sempre garantindo as medidas de segurança adequadas. Da mesma forma que crianças merecem uma atenção maior para serem transportadas, os animais também precisam. Transportá-los nos bancos dianteiros, soltos ou no colo de outros passageiros, além de ser perigoso, é uma infração e pode causar até mesmo acidentes.

As dicas a seguir asseguram a integridade física dos animais e maior concetração do motorista.

O QUE O CÓDIGO DE TRÂNSITO DIZ:

Art. 169 – Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança. (Infração – leve; Multa – R$ 53,20; 3 pontos na CNH);

Art. 235 – Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados. (Infração – grave; Multa – 127,69; 5 pontos na CNH);

Art. 252/II – Dirigir o veículo transportando pessoas, animais ou volumes à sua esquerda ou entre os braços e pernas. (Infração – média; Multa – R$ 85,13 – 4 pontos na CNH).

DICAS DE SEGURANÇA PARA TRANSPORTE DE ANIMAIS:

Cães – grades (indicado para animais de grande porte), caixas de transporte (ideais para viagens longas) ou cintos e coleiras, que ficam presos ao cinto de segurança do carro, nesse caso, a recomendação é o uso da coleira peitoral e nunca prender com arames ou cordas porque podem machucar ou mesmo matar o animal;

Gatos – transportar apenas em caixas, pois se assustam com facilidade, são mais ágeis e difíceis de socializarem. Além disso, por terem dificuldades com mudanças, aconselha-se deixar o animal dentro do veículo parado por um tempo, pois desta forma ele ficará menos agitado durante o percurso por já estar adaptado;

Peixes – devem ser deslocados sempre em sacos de plástico;

Pássaros – em gaiolas, devidamente cobertas com um pano, pois esta espécie de animal pode se estressar com a viagem;

Evite alimentar os animais 3 horas antes do transporte para evitar enjoos e vômitos;

Deixe a janela dos veículos abertas para que haja entrada de ar, porém somente até a metada para evitar que os animais tenham vontade sair ou cheguem a fugir;

Ao parar o veículo não deixe o animal quando estiver sol ou muito calor. Eles não conseguem dissipar o calor transpirando como os seres humanos e poderão sofrer de intermação (hipertermia), podendo chegar a óbito;

Em caso de viagens, recomenda-se uma consulta com o veterinário antes para avaliar a saúde do animal.

Por: Assessoria de Comunicação e Estatística – ASCOE

Comentários

comentários