Detido faz selfie na cela do 2ª DP e debocha no Facebook: ‘Tô presoooo’

Pai do jovem não gostou nada da brincadeira e chamou a atenção do filho em rede social

Um suspeito preso na última quinta-feira registrou em uma série de fotos publicadas no Facebook sua primeira impressão de dentro da carceragem da 2ª DP de Campo Grande. “Tô presooooooooo”, diz Luiz Phelipe dos Santos Fagundes, de 21 anos, na rede social. “Entrei com o meu iphone pra dentro da cela. O sistema é um lixo, mas enfim, daqui a uns meses tô na rua de novo”, debochou.

O pai do jovem não gostou nada da brincadeira e chamou a atenção do filho. “Não pago advogado para alienado sonhador. Não te coloquei aí, mas quando sair vou conversar de perto contigo”, escreveu na rede social. “Não te coloquei aí, mas quando sair vou conversar de perto contigo. Sua família nunca te rejeitou, pena que o rebelde não quer mudar. Pra você pode ser divertido, mas para seu pai…”, publicou.

'Tô presooooo', debochou Phelipe (com a camisa na cabeça) no Facebook após entrar em cela de delegacia Foto: Reprodução Facebook
‘Tô presooooo’, debochou Phelipe (com a camisa na cabeça) no Facebook após entrar em cela de delegacia Foto: Reprodução Facebook

Luiz Phelipe voltou a zombar do “sistema” e dos familiares: “Não quero ajuda da família. Sei que nossos pais têm dinheiro, mas é deles. O dinheiro e os bens são do meu pai e da vó e dos tios, não meus. Sou rebelde. Um rebelde realista. Não preciso do dinheiro de vocês, nem da ajuda dos tios. O sistema é um lixo. Tô com o radinho na cadeiaaaa. Esse sistema me envergonha.”

Após o primeiro post de dentro da cela, Luiz Phelipe voltou à rede social na madrugada da última terça para avisar que ia ficar sem bateria. “Bateria vai acabar. Estou preso. Até daqui a uns meses.”

O jovem foi preso por tráfico de drogas e segundo a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário do Mato Grosso do Sul (Agepen) irá responder também por entrar com aparelho telefônico de comunicação móvel em estabelecimento prisional. Crime que prevê pena de três meses a um ano de detenção.

A administração afirma que as imagens foram feitas dentro da cela da delegacia antes de Luiz Phelipe ser transferido para o Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.

Comentários

comentários