Detentas não aceitam presença de tia que torturou sobrinho e fazem rebelião em Corumbá

Detentas do Estabelecimento Penal Feminino de Corumbá, cidade distante a 427 quilômetros de Campo Grande, deram início a uma rebelião na manhã desta quinta-feira (25), como forma de protesto contra a transferência da acusada de torturar o sobrinho de quatro anos para o local.

Detentas são contra presença da mulher em presídio de Corumbá. (Foto: Michelle Machado/ TV Morena)
Detentas são contra presença da mulher em presídio de Corumbá. (Foto: Michelle Machado/ TV Morena)

A tia da criança foi presa na terça-feira (23) e encaminhada ao Instituto Penal Irmã Irma Zorzi, em Campo Grande, mas teve que ser retirada do local porque as outras detentas iniciaram uma manifestação.

De acordo com o site Diário Corumbaense, ao saberem da ida da suspeita para o local, as detentas iniciaram o protesto. Do lado de fora do presídio era possível ouvir gritos e também foi visto fumaça saindo do local.

Criança permanece internada na Santa Casa
Criança permanece internada na Santa Casa

A área do presídio, que fica ao lado do Estabelecimento Penal Masculino foi isolada pela Guarda Municipal. Sete viaturas da Polícia Militar e duas do Corpo de Bombeiros estão em frente ao prédio. Policiais militares, agentes penitenciários e bombeiros entraram no presídio para conter a manifestação. Três detentas foram levadas pelos bombeiros ao pronto-socorro, uma delas saiu de maca.

O juiz da 1ª Vara Criminal, André Luiz Monteiro, entrou no presídio para conversar com as internas e determinou a transferência da mulher para uma cela da Delegacia de Polícia Civil até que se encontre uma situação de segurança em Corumbá ou outra cidade do Estado.

A assessoria de imprensa da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) informou que o presídio feminino de Corumbá foi escolhido porque tem a melhor estrutura para manter a mulher em isolamento. Ainda de acordo com a assessoria, o protesto partiu de uma ala dos pavilhões.

 

Redação com informações do Diário Corumbaense

Comentários

comentários