DERF faz alerta a população sobre aumento de crimes de oportunidade

Delegados Luís Alberto Ojeda e Reginaldo Salomão durante entrevista no programa Capital Meio Dia. (Foto: Paulo Francis)
Delegados Luís Alberto Ojeda e Reginaldo Salomão durante entrevista no programa Capital Meio Dia. (Foto: Paulo Francis)

Os delegados da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF), Reginaldo Salomão e o titular Luís Alberto Ojeda, estiveram na tarde desta quarta-feira (27), no programa Capital Meio Dia e no estúdio do Página Brazil para falar sobre os recorrentes casos de crimes de oportunidade, como roubos e furtos, que em grande parte contam com a participação de crianças e adolescentes.

Segundo Ojeda, houve sim um aumento nos registros de crimes contra o patrimônio em Campo Grande, e por consequência a uma preocupação do Estado e da policia em reprimir com mais intensidade esses crimes através de um conjunto de ações que inclui desde o policiamento ostensivo, investigação policial e atuação do ministério publico.

“Há um contexto de ações para se trabalhar a redução, mas o que se destaca também é a importância de se recomendar as vitimas determinadas condições para que se previna ou dificulte ações desses criminosos. Nós temos observados tantas ações de adolescentes quanto de infrator ou autor adulto, em que em grande parte das vezes há uma facilitação por descuidos as vezes da vitima ou por desatenção de não criar mecanismos e posturas que possam impedir e dificultar a ocorrência desses crimes”, alerta.

O delegado faz o alerta a população para que se atente desde a forma de transitar em via pública, nunca estacionar veículos em locais ermos para namorar, parar para telefonar em locais de pouca iluminação, pessoas desatenta em pontos de ônibus, olhando somente para o celular ou em qualquer outra circunstancia que possa fazer com que a vitima se torne uma presa fácil para um ladrão que esteja a espreita a procura de um alvo par agir.

“Há o papel do estado de prover segurança, mas a policia muitas vezes nao consegue ser 100% eficiente e as necessidades das pessoas dificultarem essas ações é muito importante para que não haja tanta insistência e facilidade das ações criminosas nesse sentido”, finaliza.

Paulo Francis

Comentários

comentários