Deputados estaduais congelam salários do governador Reinaldo e da vice Rose

Os deputados estaduais decidiram congelar os salários do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), e da vice-governadora Rose Modesto (PSDB) ao aprovar ontem o projeto de lei que desvincula os subsídios ao dos desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado .

Rose e Reinaldo permanecem com os mesmos salários (Foto: Chico Ribeiro )
Rose e Reinaldo permanecem com os mesmos salários (Foto: Chico Ribeiro )

Da mesma forma, os salários dos secretários de Estado também não devem sofrer reajuste durante os quatro anos de mandato.

De autoria da Mesa Diretora, o projeto de lei fixa que os subsídios sejam de R$ 30.471,11 para o governador e de R$ 24.376,89 para a vice e secretários.

A justificativa para a proposta é que tramita na Câmara dos Deputados projeto de Lei que aumenta o salário mensal do STF (Supremo Tribunal Federal) de R$ 33.763 para R$ 39.293,38, que representa ganho real de R$ 5.530,38.

Em consequência, por conta de lei deveria haver reajuste de 16,38% no vencimento do Chefe do Executivo Estadual, o que foi considerado inadmissível pelos deputados, em decorrência da crise econômica e da proposta de concessão de abono salarial de R$ 200 para os servidores públicos estaduais.

Os valores definidos como vencimentos para são os que estão em já em vigor desde janeiro de 2015. O projeto foi aprovado em segunda votação e deve seguir para sanção do governador Reinaldo Azambuja.

Comentários

comentários