Depois de 15 dias ocupada, UEMS retoma aulas e terá horários especiais para debate

Após 15 dias de ocupação, a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) retomou as aulas no campus de Campo Grande na quarta-feira (23). A informação foi confirmada por meio da assessoria de comunicação da instituição, que informou que a desocupação foi acordada durante reunião na segunda-feira (21).

Foto: Reprodução - Alunos
Foto: Reprodução – Alunos

O campus estava ocupado por estudantes que protestavam contra medidas do Governo Federal após Michel Temer (PMDB) assumir a presidência. A principal delas é a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Gastos Públicos, que impõe um teto orçamentário por 20 anos, o que os críticos dizem limitar investimentos em áreas fundamentais.

Os coordenadores dos cursos oferecidos pela unidade poderão flexibilizar os horários das aulas, nos três períodos, para que os acadêmicos possam participar de reuniões de avaliação do movimento, além de debates sobre a PEC 241/55 ou sobre outros temas.

Questionada, a universidade disse que por conta da invasão o calendário de aulas que se encerraria no dia 9 de dezembro será estendido em até duas semanas, como maneira de repor os dias que foram “perdidos”. A medida também será aplicada no campus de Paranaíba.

A desocupação também foi determinada pelo juiz da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, Marcelo Ivo de Oliveira.

A reportagem tentou contato com representantes do movimento de invasão, porém as ligações não foram atendidas.

Comentários

comentários