Delcídio diz em delação que Temer indicou ex-diretor da Petrobras preso na Lava Jato

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) afirmou em delação premiada que o vice-presidente Michel Temer foi o “grande patrocinador” da indicação de Jorge Zelada para o cargo do diretor da área internacional da Petrobras, segundo informações da edição desta sexta-feira do jornal Folha de S.Paulo. Ele está preso desde a 15ª fase da Operação Lava Jato.

O vice-presidente Michel Temer teria indicado Zelada e tentado, sem sucesso, colocar um lobista na vaga de Cerveró(Evaristo Sá/AFP)
O vice-presidente Michel Temer teria indicado Zelada e tentado, sem sucesso, colocar um lobista na vaga de Cerveró(Evaristo Sá/AFP)

O ex-diretor da estatal é apontado como elo do PMDB no esquema do petrolão, e cumpre pena de 12 anos de prisão. Para a força-tarefa da Lava Jato, pelo menos 31 milhões de dólares do esquema foram parar nas mãos do partido, de Zelada e de Eduardo Musa (ex-diretor da Petrobras condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro).

De acordo com a Folha, o PMDB teme que Zelada, apontado como o elo do partido com o esquema investigado pela Lava Jato, também decida fechar um acordo de delação premiada com as autoridades.

A assessoria de Temer disse ao jornal que Zelada foi indicado para a diretoria da Petrobras pela bancada do PMDB de Minas Gerais, e que Temer o recebeu antes da nomeação na “condição de presidente da sigla”, e que em 2011, quando Zelada tentou se manter no cargo, “não obteve apoio”.

Delcídio também teria, segundo a Folha, destacado a ligação de Temer com o lobista João Augusto Henriques, escolhido para substituir Nestor Cerveró na área Internacional da Petrobras. A presidente Dilma, no entanto, recusou a indicação. O vice nega ter relação com o lobista.

Comentários

comentários