Defesa de Olarte vai ao TJ reclamar de vazamento de pedido de prisão

Advogado do prefeito afastado Gilmar Olarte (PP) Foto Ivan Silva
Advogado do prefeito afastado Gilmar Olarte (PP) Foto Ivan Silva

O advogado do prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), procurou o Tribunal de Justiça (TJ-MS) na manhã desta terça-feira (29) para ter acesso a mais informações do pedido de prisão do pepista feito pelo Ministério Público do Estado (MP-MS) na semana passada.

Olarte é investigado por suposto esquema de compra de votos para cassar o então prefeito da capital sul-mato-grossense Alcides Bernal (PP), em março de 2014. A defesa ressaltou que estaria surpresa com os pedidos do MP.

O pedido do MP também incluiu o empreiteiro João Amorim. A decisão que não tem prazo será proferida pelo desembargador Luiz Claudio Bonassini. Também foi feito o pedido de afastamento de 17 vereadores da Câmara de Campo Grande.

Por ter foro privilegiado, Olarte prestou depoimento ao Gaeco na sede do TJ. Nesta manhã, havia uma expectativa do prefeito afastado dar novas informações sobre as investigações da operação Coffee Break, mas ele não apareceu.

“Esse pedido de prisão noticiado pela imprensa, ele não aparece, ninguém confirma. Nem o Ministério Público e nem o Tribunal de Justiça. Fica uma coisa esquisita, já que todos os veículos noticiaram, mas não apareceu uma fonte oficial. Ou seja, o processo que corre em segredo de Justiça foi vazado. Agora, ninguém fala sobre o teor desta prisão, se ela é temporária ou preventiva. Então, eu vejo isso como algo nebuloso. Por isso, solicitei o pedido de vista ao desembargador [Luiz Cláudio] Bonassini para me manifestar “, comentou Jail.

 

Comentários

comentários