Da realidade virtual à casa inteligente: veja 5 tendências de tecnologia

A IFA –realizada anualmente em Berlim (Alemanha)– não é só uma das maiores feira de tecnologia do mercado europeu, como um “grande desfile” das tendências e conceitos da área. Também é um bom termômetro do que está em alta e em baixa, com base na presença forte ou ausência de determinados tipos de aparelhos.

Veja abaixo as tendências que se destacaram na IFA 2016.

Divulgação
Divulgação

1. Drones menores e mais potentes

Como de costume, eles não deixaram de marcar presença na feira, com destaque aos modelos cada vez menores e mais potentes. A exemplo da versão 3.0 do Micro Drone, da empresa britânica Extreme Fliers. Com apenas 55 gramas e um pouco mais de um palmo de comprimento, o gadget filma em HD, voa a até 72 km/h e custa apenas US$ 215 (cerca de R$ 704). Há também um modelo da Parrot –chamado Mambo– de 63 gramas que dispara bolinhas de plástico ou agarra pequenos objetos. Há também opções mais profissionais — um pouco maiores e mais potentes–, como o Breeze 4K, da fabricante de produtos para aviação Yuneec, de Hong Kong. O modelo é bem mais leve que a média dos drones profissionais; enquanto esses costumam pesar mais de um quilo, o Breeze tem só 385 gramas. Mas nem tudo é perfeito: tem tempo de bateria mais curto (12 minutos).

Samsung
Samsung

2. Realidade virtual para todos

Não há como negar que o grande chamariz desta edição foi sem dúvida as tecnologias ligadas à realidade virtual, que ganharam ainda mais destaque diante da moda dos vídeos em 360° endossada por plataformas como YouTube e Facebook. Não à toa empresas pequenas como Geneeo, Homido e Dlodlo têm investido cada vez mais em seus modelos de óculos de realidade virtual. A primeira impressão deles é que são versões “xing-ling” dos óculos Gear VR da Samsung. E para quem não se adapta a óculos, a Mopic, empresa incubada na iniciativa C-Lab da Samsung, desenvolveu uma solução. Com o uso de um aplicativo e de uma película de plástico sobre a tela do celular, o usuário é capaz de enxergar o conteúdo 3D sem o uso do acessório. Exige que o usuário olhe bem de frente para a tela –para a câmera frontal captar a altura e posição dos olhos. Fica um pouco esquisito, mas certamente é mais barato e discreto. Agora, se precisaremos de 3D no celular, já é outra história.

Divulgação
Divulgação

3. Smartphones um pouco mais baratos

As grandes marcas aproveitaram o espaço e o reconhecimento da feira para lançarem smartphones potentes, mas ainda bem mais em conta que seus tops de linha. Como foi o caso da Motorola, que lançou o irmão “mais barato” do Moto Z com uma bateria que promete durar até 50 horas.

Stefanie Loos/Reuters
Stefanie Loos/Reuters

4. Casas ainda mais inteligentes

A IFA 2016 vem para comprovar que o sonho da casa do futuro está cada vez mais próximo. O que não faltam são produtos para integrar todos os cômodos de uma residência à internet e facilitar a administração doméstica. De fornos inteligentes a máquinas de lavar que preservam as cores de suas roupas. De robôs assistentes a robôs que limpam vidros. Há até gadgets que prometem controlar o humor da sua casa.

Divulgação
Divulgação

5. Pulseira fitness e smartwatches

A Asus anunciou o Zenwatch 3 na IFA deste ano, e a Samsung também veio com o Gear S3. Já a pulseira fitness parece crescer mais: várias marcas como Fitbit, Withings e J-Style seguem focando apenas nos recursos fitness mesmo; muitos modelos sequer têm tela colorida. E com isso o preço cai, claro; se um Fitbit Flex 2 custa US$ 99, um Zenwatch 3 sairá por US$ 255. Essa briga ainda deve ir longe. (UOL)

Comentários

comentários