Cunha diz que foi à África 37 vezes em dois anos para vender mercadorias

Em almoço com líderes governistas e de oposição na residência oficial, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mostrou nesta terça-feira (10) cópias de seus passaportes em que aparecem 37 carimbos de entrada no Zaire e no Congo, na África.

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) (Foto: Divulgação)
Presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) (Foto: Divulgação)

 

De acordo com três líderes ouvidos pela reportagem, as 37 viagens concentraram-se em dois anos da década de 1980, período no qual Cunha diz ter feito fortuna com a venda de mercadorias no exterior.

Na semana passada, descobriu-se que um dos produtos vendidos era carne enlatada.

Na sexta-feira, 6, o peemedebista recusou-se a dizer à reportagem que outros tipos de mercadoria comercializava. Aos líderes, no entanto, disse que vendeu também itens como arroz e feijão.

No almoço desta terça-feira, Cunha reafirmou o que disse em uma série de entrevistas na semana passada. Negou ter contas no exterior e disse não ter ingerência sobre o patrimônio administrado pelos trustes que constituiu.

Na avaliação de líderes da base e da oposição, Cunha deu um “tiro no pé” ao conceder as entrevistas e acabou se comprometendo ainda mais e sem necessidade de entrar em tantos detalhes.

ESTADÃO

Comentários

comentários