Cuba elimina transmissão de HIV de mãe para filho

Cuba controla transmissão de HIV de mãe para filhoTodo ano, cerca de 1,4 milhão de mulheres com HIV engravidam. Se não recebem tratamento, as chances de que transmitam o vírus ao bebê durante a gestação, o parto ou a amamentação variam entre 15% e 45%. É um grande desafio mundial conseguir romper esse círculo vicioso.

E é justamente isso que Cuba fez, tal como reconheceu oficialmente a Organização Mundial da Saúde (OMS). A OMS considera que um país eliminou a transmissão materno-infantil do HIV quando registra menos de dois bebês infectados para cada 100 nascidos de mães portadoras do vírus.

Cuba implementou nos últimos anos medidas como a assistência pré-natal precoce e exames de HIV tanto para as mulheres grávidas como para os futuros pais. Também oferece tratamento às mulheres cujos testes dá positivo e a seus bebês, além de fomentar medidas preventivas, como o uso de preservativos.

Como resultado, refletido agora na certificação da OMS, Cuba registrou em 2014, apenas os casos de dois bebês que nasceram com HIV. Há outros seis países que estão na fila para obter essa certificação: Canadá, Estados Unidos, Porto Rico, Anguila, Montserat e Barbados.

Fonte: Terra / El País

Comentários

comentários