Cristiano Ronaldo se nega a pagar valor que teria sonegado

Agências/JP

Cristiano Ronaldo não pretende pagar os 14,7 milhões de euros (cerca de 54,4 milhões de reais) dos quais é acusado de fraudar pela Promotoria de Madri, antes do depoimento ao Tribunal, em 31 de julho, afirmaram fontes da Gestifute, empresa que o representa. O atacante do Real Madrid e da seleção portuguesa é acusado de ter sonegado impostos referentes a direitos de imagem por quatro anos, entre 2011 e 2014.

A Receita espanhola cobra o pagamento imediato dos 14,7 milhões de euros. O português, porém, não quer entrar em acordo semelhante ao que diversas personalidades do futebol já fizeram. Nesta semana, por exemplo, o argentino Angel Di María, do Paris Saint-Germain, assumiu uma dívida fiscal e chegou a um acordo com o Ministério Público da Espanha. Ele devolveu 1,3 milhão de euros (cerca de 4,85 milhões de reais) em troca de uma sentença mais leve.

Cristiano Ronaldo, no entanto, nega as irregularidades. Ele já contratou o escritório Baker & McKenzie e será defendido neste processo pelos advogados María Alonso Puig e Luis Briones. De acordo com o Tribunal Superior de Justiça de Madri, o melhor jogador do mundo prestará depoimento à juíza Mónica Gómez Ferrer, no dia 31 de julho, na condição de investigado.

Segundo diversos jornais europeus, a acusação fez Cristiano Ronaldo indicar desejo de deixar de atuar na Espanha, o que movimenta o mercado de transferências do futebol europeu. O jogador, que está na Rússia, disputando a Copa das Confederações, no entanto, não confirmou publicamente o desejo.

Comentários

comentários