Cristiano nega sonegação e rejeita acordo com fisco espanhol

Agências

Cristiano Ronaldo contestou as acusações de fraude fiscal e rejeitou fazer um acordo com a Fazenda da Espanha para pagar 14,7 milhões de euros (cerca de 50 milhões de reais) em impostos atrasados. A informação foi publicada nesta terça-feira pelo jornal espanhol El Mundo, que teve acesso a um documento assinado pelo atacante do Real Madrid. Ainda de acordo com o jornal, o craque declarou que a denúncia contra ele é “inconsistente, infundada e contrária à lei”.

Cristiano Ronaldo é acusado de ter cometido quatro delitos fiscais entre 2011 e 2014. Segundo o El Mundo, o jogador também declarou que acusação contra ele é baseada “no uso arbitrário de critérios contrários ao Direito Tributário e é facilmente removível por um observador objetivo”.

O craque português teve documentos vazados pelo Football Leaks, site que se notabilizou por vazar informações confidenciais do meio do futebol, inspirando-se no Wikileaks. Os dados apontam que alguns de seus contratos de direito de imagem foram cedidos a uma empresa chamada Tollin Associates LTD, nas Ilhas Virgens Britânicas, conhecido paraíso fiscal.

Tal companhia repassou esses direitos a outra, a irlandesa Multisports&Image Management LTD, que gerenciou de fato os contratos. A promotoria espanhola viu nas ações uma tentativa de burlar o Fisco e o imputou quatro crimes.

Na defesa, o jogador afirma que “o que se discute realmente não é a cessão de direitos de imagem a uma sociedade residente nas Ilhas Virgens Britânicas. A questão-chave está na classificação dada pelo contribuinte às rendas obtidas como consequência de sua atribuição à pessoa física e à renda que resulta imputável na Espanha”.

Esta não foi a primeira vez que Cristiano Ronaldo contestou as acusações de fraude fiscal e rejeitou qualquer tipo de acordo com a Justiça da Espanha. Em julho, durante depoimento à juíza Mónica Gómez Ferrer, da Audiência Nacional, ele também negou que tenha sonegado tributos e chegou a discutir com a magistrada.

“Eu sempre paguei impostos, sempre. Na Inglaterra e na Espanha. E sempre vou pagar. Como a senhora sabe, não posso esconder nada, seria ridículo da minha parte. Sou como um livro aberto. Não é preciso nada além de entrar no Google e digitar ‘Cristiano’ que aparece tudo. Por exemplo, na revista Forbes sai tudo que eu ganho”, teria afirmado Cristiano Ronaldo à juíza.

Comentários

comentários