Crise adia festa comemorativa em Nova Alvorada do Sul

O prefeito de Nova Alvorada do Sul, Juvenal Neto, anunciou o adiamento da Festa do Macarrão, por conta da crise financeira que atinge os municípios brasileiros. O anuncio foi feito durante a reunião dos prefeitos de Mato Grosso do Sul, na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), no dia 10 de agosto.

Juvenal Neto, presidente da Assomasul  (Foto: Divulgação)
Juvenal Neto, presidente da Assomasul
(Foto: Divulgação)

A festa, que estava prevista para ser realizada em setembro, teve a data remarcada para outubro, nos dias 25, 26 e 27, semana que se comemora o aniversário de Nova Alvorada do Sul.

De acordo com Juvenal Neto a festa foi adiada para o mês de outubro devido à crise financeira do município. “Esta é uma crise que acontece em todo o Estado de Mato Grosso do Sul e também nos município de todo o país. Esperamos que no mês de outubro a situação financeira da Prefeitura de Nova Alvorada do Sul esteja melhor e nós possamos fazer uma grande festa para nossa cidade e todas as cidades do nosso estado”.

Segundo o prefeito, a cidade de Nova Alvorada do Sul possui uma grande indústria de macarrão, simbolizada pela empresa Dallas. “Esta indústria contribui com o desenvolvimento de nossa cidade gerando muitos empregos para a população. Resolvemos fazer uma grande festa para homenagear para os trabalhadores da indústria e mostrar para todo o potencial da cidade Nova Alvorada do Sul, que é a indústria do macarrão”.

Juvenal Neto, que é presidente da Assomasul, discursou no evento que contou com a presença dos prefeitos de todo o Estado e representantes da bancada federal sul-mato-grossense e explicou que uma campanha será feita durante trinta dias para mostrar a realidade da situação financeira de todas as prefeituras do estado.

“Queremos que toda a população fique ciente a situação das Prefeituras. Queremos também apoio de toda a bancada federal para que possam somar com as outras bancadas de outros estados e promovam eventos como este. Assim poderemos avançar juntos na questão do pacto federativo que esta sendo discutido no Congresso. Se isso não acontecer muitos municípios irão fechar as portas porque dependem de recursos do governo federal”, finalizou.

Comentários

comentários