Cria da casa vira carrasco, Juventus despacha o Real e pega o Barcelona

Ainda não vai ser desta vez que a final da Liga dos Campeões será entre Barcelona e Real Madrid. Os catalães fizeram a sua parte na terça-feira, mas nesta quarta, os Merengues foram eliminados em uma demonstração de grandeza da Juventus, que arrancou um empate heroico e histórico no Santiago Bernabéu. Se Tevez não foi brilhante como no jogo de ida, o herói da Juve acabou sendo Morata, justamente um filho das “canteras” do Real. A Velha Senhora ia perdendo, mas o espanhol garantiu o empate em 1 a 1, favorável aos italianos.

 Empate veio no segundo tempo com Morata (Foto: Gerard Julien/ AFP)
Empate veio no segundo tempo com Morata (Foto: Gerard Julien/ AFP)

A final da Liga dos Campeões está marcada para o próxima dia 6 de junho em Berlim. O Real Madrid ainda sonha com o título espanhol e pega o Espanyol em Barcelona. Já campeã italiana, a Juventus faz o clássico com a Internazionale no sábado.

Pelas duas escalações, era evidente que ambos os times estavam afim de jogo e que iriam atacar. Sem Modric, Carlo Ancelotti deixou o pragmatismo para lá e fez o meio com Kroos, Isco e James, além do trio BBC. Do outro lado, Massimiliano Allegri teve Pogba de volta, e armou o seu meio favorito, com Pirlo, Marchisio e Vidal. Qualidade técnica sobrando em todos os lados.

Ataques dos dois times, velocidade, cadência… As oportunidades não demoraram a aparecer. Cristiano Ronaldo em cobrança de falta, Vidal em chute de longe. E os goleiros Buffon e Casillas já começavam a trabalhar. Isso era só o cartão de visitas. Aos poucos, o Real cresceu no jogo, até por precisar do resultado. Bale quase fez uma pintura em bomba de longe, mas o goleiro italiano voltou a brilhar.

Com a pressão merengue, veio o pênalti. E duvidoso… James trombou com Chiellini e o árbitro sueco marcou. Cristiano Ronaldo foi lá e conferiu. O Real seguiu no embalo. Seguia melhor na partida, obrigava Buffon a trabalhar. Do outro lado, a Juve tinha boas saídas em velocidade e chegou a desperdiçar contra-ataques com Morata e um Tevez apagado. O português voltou a ter chance, mas finalizou para fora. Benzema, pouco depois, também foi bem, mas o capitão alvinegro estava lá. Nesta altura, os Merengues eram bem melhores.

Na etapa final, mais equilíbrio. O Real começou com mais posse, mas surgiram chances para os dois lados. Marchisio quase guardou, Marcelo também teve chance. Pouco depois, o lateral brasileiro vacilou, e quase que Vidal deixa Morata na cara do gol. E enfim tudo mudou.

Após cobrança de falta, a defesa tirou e a bola voltou para a área. Pogba lutou pela volta e deu para Morata. O jogador das canteras do Real marcou e não comemorou. Acabou sendo a faísca para o time espanhol pressionar, afinal estava eliminado nesta altura. Mas a grande chance que veio foi da Juve com Marchisio, ao receber de Vidal. Mas Casillas foi gigante ao defender.

O Real respondeu duas vezes com Bale. Uma em chute para fora, e outra em cabeçada que foi por cima, mas muito perto do gol de Buffon. E foi assim até o fim. Ancelotti colocou Chicharito no lugar de Benzema, que voltava de lesão, e foi pressão, pressão, pressão e mais pressão. Mas nada de vir o gol. Até Pogba teve chance incrível. Mas ficou mesmo no empate e é Juve na final.

FICHA TÉCNICA REAL MADRID 1×1 JUVENTUS

Local: Santiago Bernabéu, em Madri (ESP)
Data-hora: 13/05/2015, às 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Jonas Eriksson (SUE)
Auxiliares: Mathias Klasenius (SUE) e Daniel Wärnmark (SUE)
Gols: Cristiano Ronaldo (23’/1ºT), Morata (12’/2ºT)
Cartões amarelos: Isco (REA), James Rodríguez (REA), Tevez (JUV), Lichtsteiner (JUV)
Cartões vermelhos:

REAL MADRID: Casillas, Carvajal, Sergio Ramos, Varane e Marcelo; Kroos, Isco e James Rodríguez; Bale, Cristiano Ronaldo e Benzema (Chicharito, 21’/2ºT). Técnico: Carlo Ancelotti

JUVENTUS: Buffon, Lichtsteiner, Bonucci, Chiellini e Evra; Pirlo (Barzagli, 33’/2ºT), Pogba (Pereyra, 43/2ºT), Marchisio e Vidal; Morata (Llorente, 38’/2ºT) e Tevez. Técnico: Massimiliano Allegri
Real Madrid, Juventus, Barcelona, Liga Dos Campeões

LANCEPRESS!

Comentários

comentários