Cozinheiro que matou brasileiro em restaurante nos EUA diz que fez ‘o que tinha que fazer’

O cozinheiro americano Jaquan Huston, acusado de matar com uma facada o colega de trabalho brasileiro Elivelton Dias, de 38 anos, dentro do restaurante P.F. Chang’s, na cidade americana de Peabody, no último sábado, alegou legítima defesa às autoridades americanas que investigam o caso. De acordo com a promotora que lidera as investigações, Ashlee Logan, Jaquan, de 23, contou que ouviu Elivelton ofendê-lo em espanhol, se sentiu ameaçado e “fez o que tinha que fazer”.

Elivelton levou uma facada nas costas do colega de trabalho Foto: Reprodução / Facebook
Elivelton levou uma facada nas costas do colega de trabalho Foto: Reprodução / Facebook

“O acusado, de acordo com o depoimento que deu à polícia, percebeu que a vítima estava falando sobre ele em espanhol e sentiu que sua segurança estava ameaçada. Disse que a vítima foi até ele e ele fez o que tinha que fazer”, conta a promotora, em entrevista ao jornal americano “Boston Herald”.

Segundo a polícia, Elivelton foi atingido com um golpe pelas costas, a uma distância de cerca de 60cm de Jaquan, que fugiu após o crime, mas foi preso em seguida. A direção do restaurante P.F. Chang’s informou que está ajudando nas investigações e que os vídeos das câmeras de segurança que flagraram o ataque foram encaminhados à polícia. O também cozinheiro William Blundell, colega da dupla no restaurante, foi o primeiro a socorrer o brasileiro, que não resistiu e morreu no local. Ele lamentou o ocorrido.

Jaquan foi condenado por homicídio, sem direito a fiança Foto: Reprodução / Facebook
Jaquan foi condenado por homicídio, sem direito a fiança Foto: Reprodução / Facebook

“Era uma faca de sushi, com cerca de 50 centímetros. Eu me virei e o vi encostado no balcão. Em seguida, vi que tinha uma faca nas costas dele. Foi um caos na cozinha”, relata o cozinheiro. “Ellie (apelido de Elivelton) era muito educado, top de linha. Ultimamente mostrava todo orgulhoso as fotos de sua filhinha”, contou William sobre o brasileiro, que havia sido pai há apenas 10 dias.

A mãe de Jaquan, Shawn Maron-Huston, disse acreditar que algo que Elivelton disse tirou seu filho de controle. “Esse não é o meu filho, ele não é um assassino”, falou Shawn, na saída do primeiro julgamento do suspeito. Em audiência preliminar, o americano foi condenado à prisão por homicídio, sem direito a fiança. Outro julgamento deve acontecer nos próximos meses, dessa vez de caráter definitivo.

Família arrecada fundos para traslado do corpo

Há mais de 11 anos nos Estados Unidos, Elivelton trabalhava no P.F. Chang’s há mais de sete anos. Dois anos atrás, o cozinheiro casou-se com a também brasileira Fabiana Matos, que foi morar no país. Ela havia acabado de ter uma filha, a primeira do casal. Segundo funcionários do restaurante, Jaquan havia sido contratado há menos de um mês e ainda não era muito conhecido pelos colegas de trabalho, mas não havia nenhum problema de relacionamento aparente entre os dois.

O casal morava nos Estados Unidos há um ano e meio Foto: Reprodução / Facebook
O casal morava nos Estados Unidos há um ano e meio Foto: Reprodução / Facebook

Para custear o traslado do corpo até o Brasil, amigos da família criaram uma campanha de arrecadação de fundos na internet. Graças à repercussão nas redes sociais, o objetivo foi alcançado: conseguiram 15 mil dólares em apenas dois dias. No entanto, a esposa de Elivelton não poderá vir ao Brasil para o enterro, pois está em período de resguardo.

— Eles estavam muito felizes nos Estados Unidos, mas planejavam voltar ao Brasil daqui a alguns anos. A ficha ainda não caiu. Foi muito de repente. Na sexta-feira conversamos e estava tudo bem — contou Laura Matos, prima de Fabiana.

Em nota, o Itamaraty informou que “o caso está sendo acompanhado pelo Consulado-Geral do Brasil em Boston, que presta assistência, junto a amigos e familiares da vítima, relativa aos trâmites necessários para a emissão da correspondente certidão de óbito, bem como para a liberação do corpo e traslado ao Brasil, conforme desejo expresso pela família”.

Com Informações AFP

Comentários

comentários