Corpo desovado em plantação de eucalipto é reconhecido pela família

Foto Rádio Caçula
Foto Rádio Caçula
O jovem que possuía uma extensa ficha criminal, ultimamente sofria com sérios problemas relacionados ao vicio em entorpecentes e de acordo com informações preliminares de pessoas envolvidas na investigação, o rapaz foi assassinado por espancamento, porem a causa da morte ainda será confirmada pelo médico legista do IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal).
Na década de 90, Robson foi apontado como o principal suspeito pelo assassinato de um policial em Três Lagoas em um crime que aconteceu em frente ao clube NIPO no bairro Santos Dumont.
A morte de Robson ainda é um mistério e a investigação do caso será conduzida pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil, que será responsável por desvendar onde o crime aconteceu, como e quem assassinou o rapaz.
Entenda o caso
Na noite deste domingo (3) a Central de Operações da Polícia Militar (COPOM) recebeu uma denúncia anônima informando o local exato onde uma pessoa estaria sem vida.
De imediato, uma equipe do Serviço Reservado (P2) foi designada para ir até a Avenida Renato Gomes que fica entre a “Carbat” e a nova Estação Ferroviária (às margens da BR-262 no anel viário) e durante as buscas pelo local, encontrou o homem caído no meio de uma plantação de eucalipto.
A vítima não portava documentos pessoais, mas a polícia suspeita que seja uma pessoa conhecida nos meios policiais como “Robson”.
O homem possui tatuagens no tórax, uma no braço esquerdo (capeta) e outra de escorpião no tornozelo direito. A delegada plantonista – Dra. Letícia Mobis – acompanhou de perto os trabalhos da Polícia Científica que ainda não declarou as causas da morte. Acredita-se que a vítima foi espancada antes de morrer e que está naquele ponto por um ou dois dias.
Com Informações Rádio Caçula

Comentários

comentários