Conselho do FCO já aprovou R$ 1,25 bilhão em propostas de novos investimentos para MS

Da Redação/JP

O Conselho de Investimentos Financiáveis pelo Fundo Constitucional de Investimentos do Centro-Oeste (CEIF-FCO) aprovou, de janeiro a 30 de maio deste ano R$ 1.251.412.000 em propostas de novos empreendimentos para Mato Grosso do Sul. O valor corresponde a 54% dos R$ 2,3 bilhões do Fundo disponíveis para serem aplicados ao longo deste ano no Estado, analisados e aprovados antes de se encerrar o primeiro semestre de 2017.

A informação foi repassada na quarta-feira (7) na reunião ordinária do CEIF-FCO. “Sob o ponto e vista de volume é um dado extremamente positivo para o Estado, mas ainda temos um problema no que diz respeito ao volume de contratação. Temos até o momento R$ 474.720.451,00 contratados junto ao Banco do Brasil, o que corresponde a 20% do total de recursos disponíveis. Temos outros R$ 776.691.209,00 já internalizados no banco, ainda no curso das diversas etapas para ser efetivamente contratado pelos investidores. O banco está empenhado nessas efetivações”, afirmou o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, que preside o Conselho.

Dos R$ 474 milhões contratados, R$ 209 milhões são do setor Rural e R$ 265 milhões do Empresarial. Entre os R$ 776 milhões internalizados no banco, R$ 350 milhões são de propostas empresariais e R$ 425 milhões de rurais. “O desempenho do FCO Rural está aquém ao de outros anos, principalmente no volume contratado. Temos um montante maior nas propostas do setor que ainda não foram concretizadas. Isso ocorre pelo fato de muitos produtores estarem aguardando a revisão de juros do Rural, que deve ocorrer nos próximos 30 dias, para fecharem seus contratos com uma taxa mais competitiva. Essa espera por uma redução das taxas é compreensível. O próprio governo do Estado está atuando junto ao Condel e ao Ministério da Fazenda para que seja feita uma nova revisão dos juros do FCO”, lembrou o secretário.

Outro dado apresentado no Conselho foi a distribuição dos recursos do FCO de acordo com o porte das empresas. “50% do FCO tem de ser aplicado na mini e pequena empresa. De acordo com o balanço apresentado pelo banco, no setor Rural, 48,57% das propostas aprovadas são de mini e pequenos empreendimentos. No Empresarial, esse percentual é de 22,7%. Isso nos mostra que temos de fazer um esforço interno e junto ao banco para que a gente consiga ampliar essa participação”, comentou o titular da pasta. (Confira a tabela)

Os projetos analisados na reunião de hoje do CEIF-FCO ainda foram aprovados na normativa antiga. “A partir de agora o CEIF segue a nova deliberação do Condel. As contratações de até R$ 1 milhão têm entrada diretamente no banco e seguem para o CEIF somente para homologação. A partir da próxima reunião isso já começa a acontecer. É um elemento importante que visa reduzir o tempo de contratação das operações, o banco passa a ser responsabilizado pelo conjunto de atividades que até então era do CEIF”, finalizou o secretário.

Comentários

comentários