Conselheira Tutelar se posiciona contra a redução da maioridade penal

A Assistente Social e Conselheira Tutelar Vânia da Silva Nogueira, ressaltou  nesta terça-feira (23) se posiciona contra a redução da maioridade penal para a idade de 16 anos. “Acredito que com isso não será resolvido a questão da criminalidade do pais. Se agente for analisar quantos adolescentes praticaram crimes e quantos morreram no mesmo dia, nós veremos que o índice de morte é maior. Se reduzir para 16, com certeza os de 12, 13 anos continuaram sendo aliciados por um adulto”, afirma.

Vânia da Silva Nogueira Foto Paulo Francis
Vânia da Silva Nogueira Foto Paulo Francis

A assistente social acredita que a melhor alternativa seria investimento em educação de qualidade onde os adolescentes possam estudar e se profissionalizar. ” A partir dos 14 anos o adolescente já pode ser Jovem Aprendiz, muitas empresas contratam e existem cursos destinados a essa faixa etária, basta aumentar a oferta. Os políticos brasileiros devem investir nos adolescentes e a família deve estar mais presente e não se esquivar e esperar que a escola e ou o conselho tutelar eduque seus filhos”, diz Vânia.

A conselheira ressalta que a família deve estar mais presente do jovem, saber com quem o filho vai sair, a que horas vai e volta, para onde vai, se possível levar e buscar, e não deixa-lo tão a vontade. “O que esta acontecendo é que os pais estão deixando de lado as responsabilidades, deixando o filho sair sem saber para onde, vai para o shopping e os pais não sabem o que fazem por lá, vai para baladas improprias e com isso vão conhecendo outras pessoas que podem levar o adolescente a cometer algum tipo de crime”, completa.

Vânia afirma que a redução não é o melhor caminho e uma solução possível é trabalhar melhor o Estatuto da Criança e do Adolescente(ECA), e tornar mais rígidas as leis contra os aliciadores de menores.

Paulo Francis

Comentários

comentários