Comissão de Ética deve notificar vereador por suposta “passada de mão” nesta quinta

A Comissão de Ética da Câmara de Vereadores de Dourados realizou na tarde desta quarta-feira (17) a primeira reunião na busca de definir ações sobre a denúncia da vereadora Virginia Magrini (PT) contra o colega de casa, também vereador Maurício Lemes (PSB), na qual o acusa de ter passado a mão em suas nádegas em término de sessão no dia 08 deste mês. A comissão definiu junto a procuradoria da casa de leis que deve notificar o edil nesta quinta-feira (18).

Com documentos em mãos, comissão e procuradoria definiram por notificação a Maurício Lemes (Foto: Gizele Almeida)
Com documentos em mãos, comissão e procuradoria definiram por notificação a Maurício Lemes (Foto: Gizele Almeida)

“Ele vai ser notificado dessa primeira reunião onde a gente tomou ciência de toda a documentação que já existe, o que eu quero que aconteça nesta quinta-feira”, citou o presidente da Comissão de Ética da Câmara, vereador Marcelo Mourão (PSD).

Mourão explica que após receber a notificação, Maurício Lemes terá um prazo de cinco dias úteis para apresentar defesa e assim a comissão definirá as próximas reuniões para apurar o caso.

“Vamos aguardar que encaminhe a defesa por escrito, quando recebermos esse documento vamos decidir a próxima agenda para dar prosseguimento no processo administrativo”, pontuou.

Questionado se as documentações apresentadas pela vereadora Virginia Magrini são suficientes, Mourão preferiu não opinar e apenas comentou que as acusações da mesma são graves e que o vereador Maurício Lemes terá todo a abertura para apresentar defesa.

“Não diria que eu considero ou não considero suficientes, ela faz acusações graves que tem o relato que é público, agora nos resta ouvir o vereador e dar a ele todo o direito de se defender, de apresentar todas as provas que são necessárias e comissão irá analisar esses documentos, ouvir as partes, mas, penso que a medida que você acusa, tem que provar aquilo e resta a vereadora, na minha maneira de pensar, provar o que está dizendo nos documentos encaminhados à comissão”, citou.

Na sessão realizada na segunda-feira (15), a Câmara acolheu a denúncia da vereadora com a deliberação do processo administrativo do artigo 20 do código de ética e decoro parlamentar, diante de votação favorável de 15 parlamentares presentes.

Não votaram devido a ausência os vereadores Nelson Sudário e Délia Razuk, assim como não o fizeram o vereador Mauricio Lemes e o presidente da Câmara, Idenor Machado, estes por estarem impedidos por regras da casa.

O desfecho do caso pela Casa de Leis por regra deve ocorrer em 90 dias após a deliberação, o que segundo Mourão, tem previsão de acontecer antes disso. “Eu já sinto que nós não levaremos esse tempo para finalizar essa agenda, devemos finalizar antes desse prazo”, ressaltou.

Relembre o caso

A vereadora Virginia Magrini (PP) registrou o boletim de ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher contra o colega de trabalho, também vereador Mauricio Lemes (PSB) por afirmar que ele teria passado a mão em suas nádegas durante sessão ordinária na noite de segunda-feira (08) na Câmara Municipal de Dourados e protocolou a Câmara Municipal sobre o caso.

Segundo ela, o fato aconteceu já no final da cerimônia durante entrega de uma moção legislativa e foi feito por repetidas vezes.

De acordo com a vereadora, após afirmar que denunciaria o ocorrido o próprio Maurício Lemes chegou a pedir desculpas pelo o que teria classificado como uma “brincadeirinha”.

Já Maurício Lemes negou ter assediado a vereadora e destacou que irá aguardar ser chamado para apresentar sua versão.

Comentários

comentários