Com Thais Helena, PT assume comando da Câmara pela 1ª vez

A vereadora Thais Helena (PT) assumirá a presidência da Câmara de Vereadores. Segunda na linha sucessória ela assume a vaga até a conclusão da investigação do Gaeco, em que Mario Cesar e mais sete vereadores foram ouvidos. O prefeito, três empresários e o ex-vereador Alceu Bueno também são investigados.

Thais Helena será presidente da Câmara De Vereadores
Thais Helena será presidente da Câmara De Vereadores Foto Kerolyn Araújo

Em entrevista coletiva concedida à imprensa no fim da manhã, Flévio César, atual vice-presidente da Casa, afirmou que a procuradoria-jurídica da Câmara aguarda expedição de termo judicial para que as nomeações ocorram.

“Eu na condição de vice-presidente dou posse a Thais Helena como presidente da Casa e ela, na sequência, dando posse a mim como prefeito interino enquanto a Justiça trabalha nas investigações”, afirmou.

Será a primeira ves que o PT vai comanda o legislavo municipal da cidade. Thaís Helena foi eleita com 3.346 votos

AFASTAMENTO

A ação tramita na Justiça em razão de ação impetrada pelo Ministério Público Estadual (MPE), que solicitava o afstamento do prefeito Gilmar Olarte e Mario Cesar por envolvimento em compra de votos que culminou na cassação de Alcides Bernal (PP), em março do ano passado.

Segundo o desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva, do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), “sobram indícios de prática de vários ilícitos, possivelmente praticados pelas pessoas relacionadas pela inicial, tais como corrupção ativa e passiva”.

Bonassini ainda relacionou a situação que vive Campo Grande com o escândalo da Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal no país. “As investigações iniciadas em nosso Estado, ainda que de menor proporção, já indicam que os atos de corrupção aqui praticados podem atingir dimensões comparáveis à extensão do Pantanal”.

Além do afastamento de Olarte e Mario Cesar, o desembargador decidiu pela proibição de aproximação das dependências administrativas da prefeitura e da Câmara.

Também houve determinação da apreensão dos celulares de Olarte, Mario Cesar, Edil Albuquerque (PMDB), Airton Saraiva (DEM), Waldecy Batista (PP), Gilmar da Cruz (PRB), Carlão (PSB), Edson Shimabukuro (PTB), Paulo Siufi (PMDB), Jamal Salém (vereador que hoje ocupa cargo de secretário de saúde), Alceu Bueno (ex-vereador), Eduardo Romero (PT do B), Flavio Cesar (PT do B), Otávio Trad (PMDB) e dos empresários João Amorim, João Baird e Fabio Portela Machinsky.

Comentários

comentários