Com Rose se articulando mais, PSDB deve definir essa semana candidato a prefeitura da Capital

rose_ridelA executiva do PSDB tem programado para a próxima semana encontros para possivelmente definir quem será o pré-candidato tucano para disputar a prefeitura de Campo Grande, no embate com Alcides Bernal (PP), que buscará a reeleição, dentre outros nomes de peso que já se colocaram a disposição. A sigla visa buscar o consenso para definir o nome entre a mais propensa e viável vice-governadora, Rose Modesto, e o secretário de Governo, Eduardo Riedel. O partido quer que eles se acertem antes da convenção do partido. De acordo com fontes de bastidores, a dupla até têm conversado, ao menos uma vez por semana, no Parque dos Poderes. Mas, sem acordo, a decisão fica para reunião no diretório municipal nesta semana. Contudo, nenhum dos dois nomes, está bem colocado em pesquisa, que já saíram sobre o pleito eleitoral.

Rose, que deixou o cargo de secretária estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, devido ao prazo eleitoral, vem fazendo articulações e já tem dado declarações pública de que é preciso resolver a questão para que ela, o partido, possam passar para a fase de ir buscar e fechar acordos com outras legendas, que até estão a espera de sua candidatura. “Alguns partidos como o PRB, Solidariedade, PT do B, PEN e PROS já sinalizaram pela nossa pré-candidatura, e muitas dessas manifestações foram de lideres partidários, e de quem até ocupam mandatos no Legislativo”, disse a propensa candidata, se referindo a força que tem ou pelo respaldo já recebido de parlamentares ou ocupantes de cargos de decisão.

O secretário de Governo, Eduardo Riedel, com sua discrição ou ao menos no que tem “aparecido”, não tem feito a mesma articulação de sua colega. Mas como tem conhecimento e peso no meio empresarial e outros segmentos da sociedade continua sendo forte concorrente. Por isso, a cúpula do PSDB não pediu e não descarta sua candidatura. O partido tem dois nomes, onde considera, que um já tem ‘voto’, é conhecido socio-politicamente, e, o outro ainda não, mas reuniria forte apelo de diversidade social e a parte de novo nome, renovação, que vem sendo postulado pelo eleitorado e sociedade em geral, devido a atual crise politica no País.

Os tucanos tem dois nomes ‘fortes’ do partido, mas que ainda não está apontando colocação favorável sobre o pleito eleitoral. Com isso, a vice-governadora e ex-secretária intensificou os trabalhos visando ser a candidata. Ela acredita que a pequisa que a legenda está fazendo para balizar a decisão, a apontará como a preferida dos eleitores, pois tem mais inserção na camadas populares ou onde tem ‘os votos’. “Desde o ano passado, quando o meu nome começou a ser citado, me preparei para essa missão, e estamos de forma direta ou indera, conversando com as lideranças comunitárias, com as organizações partidárias e levantando os fatos, apesar de não darmos ou podermos dar a certeza da confirmação do projeto”, afirmou Rose.

Perfil

Rose, tem explanado que a decisão não pode ser mais demorada, pois nas eleições deste ano a disputa pela prefeitura deverá envolver mais de cinco, até oito candidatos, que com isso o espaço de apoios ficam reduzidos.

A partir do momento em que for definida como pré-candidata do PSDB à Prefeitura da Capital, Rose pretende também mostrar que, ao contrário do que muitos possam imaginar, ela tem visão de futuro e domínio da gestão eficiente, como vem apontando ao mostrar as ações implementadas quando foi a titular da Sedhast (Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho).

Ela diz que pensando como pré-candidata do PSDB à prefeitura, que “Campo Grande precisa de carinho, de atenção”, e que a cidade não tem grandes problemas a serem enfrentados. “Temos problemas pontuais, que no dia a dia até pode causar grandes transtornos naquele momento. Porém, é preciso pensar a Capital para os próximos 10, 15 anos e dentro desse contexto é fundamental prepará-la para receber grandes empreendimentos”, aponta.

Rose, com fala de candidata, afirma que o terceiro setor é importante para que se possa levar atendimento a população, e por isso, quando esteve na Sedhast ampliou o número de instituições conveniadas de 12 para 44 e o volume de recursos liberados saltou de R$ 560 mil para cerca de R$ 4 milhões. Ela entende também que o gestor público precisa encontrar alternativas para atender a comunidade, dando exemplo, a ampliação do Vale Universidade com o mesmo orçamento, com uma readequação em alguns projetos já existentes. Pelo Vale Universidade, o aluno recebe bolsa de 90% da mensalidade. Em 2014, o programa atendia mil alunos e hoje são 2 mil beneficiados.

Vai crescer na pesquisa com mais sete nomes

Com forte atuação na área de educação por ser professora, Rose Modesto acredita que, quando os eleitores conhecerem com mais profundidade os projetos que desenvolveu e vem desenvolvendo, a tendência é de que cresça nas pesquisas de intenção de votos.

Ao falar do potencial político, Rose Modesto lembra que em 2008 se elegeu vereadora em Campo Grande com 7.500 votos e, em 2012, ao ser reeleita, conquistou a simpatia de 11 mil eleitores, situação não muito comum em casos de reeleição para vereador. Aos 38 anos e solteira, a vice-governadora afirma que sempre esteve pronta para o trabalho e que tem a preocupação de elevar a autoestima da população dos bairros.

Os campo-grandenses deverão contar na disputa com os candidatos que já se declararam oficialmente, como o atual prefeito Alcides Bernal (PP), o deputado estadual Marcos Trad pelo PSD e o engenheiro civil Aroldo Figueiró, que foi anunciado com a aposta do nanico PTN. Há ainda pelo menos mais cinco nomes já apontados.

Os cotados, mas que ainda estão em articulação e precisam ser confirmados pelos partidos, são: Sérgio Longen (PR), presidente da Fiems (Federação das Indústrias do MS); Coronel Davi (PSC), suplente recém empossado deputado estadual, é o nome do partido. O ex-prefeito Nelson Trad Filho é considerado o pré-candidato do PTB.  O vereador Marcos Alex, se lançou pelo PT, para a disputa na chapa majoritária da Capital.

O ‘grande PMDB’ tem como única definição a certeza de disputar a prefeitura. Por enquanto, quatro nomes estão em discussão e deve ser definido perto do prazo final das convenções partidárias.

Comentários

comentários